O Tribunal Constitucional chumbou, por duas vezes, a coligação por ter o mesmo nome que o partido de André Ventura. À terceira tentativa o Chega passou a Basta e os juízes deram ‘luz verde’ à coligação.

OTribunal Constitucional (TC) aprovou, esta sexta-feira, a formação da coligação Basta que integra o Partido Chega, o Partido Popular Monárquico (PPM), o Partido Cidadania e Democracia Cristã (PVP/CDC) e o movimento cívico Democracia 21.

“Hoje é um dia feliz para a democracia. Os portugueses terão oportunidade de escolher nas urnas livremente, sem censura prévia ou condicionamento institucional”, reagiu, entretanto André Ventura, que encabeça a coligação, em declarações ao Notícias ao Minuto.

A decisão dos juízes do Palácio Ratton surge depois de os líderes políticos da coligação terem alterado o nome da mesma, razão pela qual havia sido chumbada já por duas vezes.

Pelo facto de o Partido Chega, de André Ventura, ter sido aprovado pelo TC, os juízes consideraram que era inapropriado, por gerar “confusão”, que a coligação tivesse o mesmo nome.

“Continuamos sem perceber a confusão do Europa Chega quando temos tantas outras designações que confundem com outros partidos e coligações… Mas enfim, os portugueses também saberão dar a devida resposta a tudo isto nas urnas”, critica André Ventura

Recorde-se que primeiro foi chumbado o nome Chega, depois foi chumbado o nome Europa Chega e agora chega a aprovação para o nome Basta.

in Notícias ao Minuto