CHEGA defende um real programa de apoio ao arrendamento jovem

Publicado a 15-11-2021

O CHEGA entregou, na Assembleia da República, um Projeto de Resolução no qual recomenda ao Governo, um programa de apoio ao arrendamento jovem realista e focado nas reais necessidades e desafios das novas gerações.
Em causa está o atual programa Porta 65, destinado a jovens até aos 35 anos que visa o apoio ao arrendamento através de uma subvenção que cubra uma percentagem do valor mensal da renda.

O Programa Porta 65 tem potencial para auxiliar inúmeros jovens, contribuindo para o processo de fixação populacional. Contudo, os valores da “renda máxima admitida” estipulados para a comparticipação estão longe de estar enquadrados com os valores praticados no mercado.
Assim, inúmeros jovens com todos os requisitos para se candidatarem veem-se impedidos de receber o apoio. Num contexto de aumento constante dos valores de arrendamento e em que a maior percentagem de despesa dos seus salários é referente a habitação é necessário o apoio estatal.

Considerando as dificuldades de emancipação das novas gerações e os desafios, agravados no contexto pandémico, pautados pela precariedade laboral, por baixos salários, pelo desemprego jovem ou pela inacessibilidade do mercado habitacional, o CHEGA considera prioritário um apoio real às novas gerações.

A falta de oportunidades a nível nacional é o principal gatilho para a perda anual de tantos quadros jovens para o exterior. Para contrariar esta tendência é necessário investir na promoção de incentivos e apoios para as novas gerações de forma realista e de acordo com as suas necessidades.