CHEGA quer reabrir prisões para impedir libertação de reclusos

O CHEGA submeteu, nos serviços da Assembleia da República, um Projecto de Resolução a defender a reabertura de estabelecimentos prisionais actualmente inactivos para que pudessem albergar uma parte da população prisional.

Esta iniciativa surge na sequência da decisão do Governo, liderado pelo Sr. Primeiro-Ministro António Costa, de libertar mais de 2000 reclusos das prisões portuguesas, contando para isso com o forte apoio da Esquerda, uma medida desde logo criticada pelo CHEGA que considera não ser esta a solução para o problema.

O deputado único e presidente da Direcção Nacional do CHEGA apontou o dedo ao Executivo liderado por António Costa, acusando-o de se mostrar mais preocupado com os reclusos do que com os guardas prisionais e restantes funcionários das cadeias, tendo, por isso, apresentado uma alternativa.

Ao reabrir-se algumas das prisões que se encontram encerradas seria possível, por um lado, impedir a libertação de reclusos condenados e, por outro lado, proteger os detentos do contágio por COVID 19.

Entre as prisões passíveis de voltarem a funcionar encontram-se, entre outras, as de Santarém, Odemira, Felgueiras e São Pedro do Sul.