CHEGA sai em defesa dos guardas florestais

Imprescindíveis no controlo e proteção do nosso território, os guardas florestais estão a ser desprezados nas importantes funções que desempenham, nomeadamente nas florestas, na caça e na pesca. Os mesmos guardas têm ainda o dever de prestar auxílio em qualquer diligência em matéria legal, no âmbito das missões da GNR, sendo, portanto, equiparados a um órgão de polícia criminal. No entanto são considerados um parente pobre e estão a ser ignorados.


Desde 2006 que a carreira não é revista, há falta de efetivos, faltam os subsídios e faltam condições de trabalho em geral.
Por tudo isto o CHEGA recomenda que o Governo promova a dignificação da função de guarda florestal, reunindo com as associações representativas destes profissionais a fim de averiguar as suas necessidades, realizando a revisão da carreira, promovendo novas contratações e garantindo o pagamento de subsídios de risco, escala ou patrulha.