André Ventura responde com despreocupação às declarações de Assunção Cristas, que admitiu uma possível geringonça à direita, mas sem a presença do partido Chega.

André Ventura acusa o CDS de ser a “direita-fantoche”, depois de Assunção Cristas ter mostrado disponibilidade para uma geringonça à direita, desde que o Chega ficasse de parte.

Em declarações à TSF, o líder da coligação Basta diz não ter ficado surpreendido com as declarações da centrista.

“É normal que a direita-fantoche não queira a direita autêntica perto de si”, começa por dizer André Ventura, que elenca pontos de divergência entre os dois partidos. “Nós temos falado da questão da insegurança nos bairros, na questão das minorias étnicas. Ainda esta semana voltámos a ter um tiroteio inadmissível em Paio Pires, e o CDS não concorda connosco. Nós temos falado nos disparates da suposta lei da identidade de género, o CDS afasta-se. Nós temos falado das carências das forças de segurança e das dificuldades que têm, o CDS afasta-se. É a direita-fantoche.”

O líder do Chega afirma ainda: “Não estou nada preocupado com isso.” André Ventura vai mais longe e diz mesmo que seria o Chega a rejeitar o CDS e não o oposto.

“Atendendo ao que temos visto nas sondagens e aos resultados miseráveis que o CDS tem tido nas Europeias e vai ter nas Legislativas, é mais provável ser o Chega a excluir o CDS de uma qualquer ligação do que o contrário”, argumenta.

in TSF