Este ministério ensina pouco e educa ainda pior

 “O sistema que coloca à prova estes jovens falhou em todo este processo e continuou a falhar quando, no início do 3.º período, ainda existiam 28 mil alunos sem professores a todas as disciplinas, algumas delas disciplinas de exame.”
 A nossa mandatária da Juventude e deputada da Nação, Rita Maria Matias, escreveu mais um artigo de opinião para o semanário o Novo.
 Em altura de exames nacionais, não podíamos deixar passar ao lado, o vergonhoso estado a que chegou o Ensino em Portugal. Como escreve Rita Matias, “os alunos portugueses estudam em condições díspares, até ao nível das instalações”, observando casos onde na “mesma cidade coexistem escolas com infra-estruturas recentes e liceus onde chove dentro dos edifícios ou onde é impossível climatizar os contentores “provisórios” que servem de sala de aula.”
 Isto são consequências do socialismo que reina Portugal há quase meio século, onde temos professores que “se sentem desprezados por uma tabela remuneratória injusta e estanque, por uma avaliação de carreira enviesada ou por uma crescente indisciplina no espaço escolar, marcada pela desvalorização do seu papel.”
 É tempo de dizer CHEGA, de defender o futuro da nossa Nação, que são os jovens Portugueses e proporcionar-lhes o Ensino que merecem. E sim, ENSINO!
 Porque por muito que os socialistas e os marxistas tentem as suas experiências sociais e doutrinações abjetas, finalmente há um partido em Portugal que com a força da FAMÍLIA defende os jovens portugueses.
 Porque a Família educa, e a Escola ensina!

Intervenção do Deputado Municipal Eduardo Alcouce

Na Assembleia Municipal de Condeixa-a-Nova de 27 de junho, o membro representante do Partido CHEGA, Eduardo Alcouce, pautou-se novamente, por uma intervenção FOCADA nos interesses das POPULAÇÕES e nas suas NECESSIDADES BÁSICAS.

Foram solicitadas informações sobre.:

a) O Porquê de ausência de saneamento básico em certas localidades;
b) Qual o motivo de não reparação e correspondente reabertura das Piscinas Municipais da Ega;
c) Questionou o PORQUÊ da NÃO CRIAÇÃO do grupo de trabalho dedicado ao acompanhamento da EDUCAÇÃO do concelho, o qual iria aumentar a qualidade educativa.
Frisou de forma bastante eloquente, que a POLÍTICA não podem ser SÓ PALAVRAS, tem que resultar em MAIS AÇÃO, em prol da qualidade de vida dos munícipes.

Morte de Jéssica: Chega quer ouvir ministra da Segurança Social

“O que todos sabemos é que o sistema de proteção de menores em risco falhou, porque morreu uma criança – e falhou, no mínimo, pela sua lentidão”, lê-se no comunicado do partido.

O Chega solicitou esta terça-feira uma audição parlamentar com a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, sobre as “falhas do sistema de promoção e proteção” na morte de uma menina de três anos em Setúbal.

“O que todos sabemos é que o sistema de proteção de menores em risco falhou, porque morreu uma criança – e falhou, no mínimo, pela sua lentidão: o processo de promoção e proteção durou mais de dois anos, a menor não foi retirada à mãe, e a partida do pai biológico foi a circunstância aproveitada para justificar o arquivamento do processo”, lê-se no documento.

De acordo com o Chega, não é conhecido se foi “aplicada alguma medida de promoção e de proteção à criança”, após o processo da Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) ter sido arquivado em maio de 2022 pelo Ministério Público (MP).

O partido lembrou ainda que a ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, na última conferência de imprensa do Conselho de Ministros, referiu-se “às falhas no sistema”, mas não às “relativas ao caso concreto”.

Fonte: SIC Notícias

Conteúdo em atualização.

Prometemos ser breves !