3ª Reunião do Conselho Consultivo do Distrito de Coimbra

Reuniu pela 3ª vez, o Conselho Consultivo do Distrito de Coimbra.
Órgão constituído pelos Membros de Assembleias Municipais e de Freguesia legalmente eleitos por sufrágio, Coordenadores dos Grupos de Trabalho Concelhios, Coordenadores de Grupos de Trabalho Temáticos e futuramente, por todos os que possam acrescentar valor às Tomadas de Decisão e Estratégias Políticas no Distrito de Coimbra.
Na Ordem de Trabalhos, foram debatidas temáticas que vão desde a Organização Interna, à situação das Infraestruturas Rodoviárias e a casos de Corrupção Ativa e Passiva nos Municípios do Distrito de Coimbra.
Bem Haja a todos os presentes e também aos ausentes, pelo v/ Contributo.

Homenagem aos pilotos aviadores da Força Aérea

A única forma que temos de HOMENAGEAR quem fez parte da nossa História, é RELEMBRAR quem por nós se sacrificou, quem por nós lutou, para que hoje em dia a LIBERDADE e a DEMOCRACIA, sejam PILARES INTRÍNSECOS de PORTUGAL.

Passam exatamente 67 anos sobre a queda de 8 Aviões F-84, sobre a Serra do Carvalho, onde se perderam 8 vidas, que apenas queriam naquele dia, contribuir para a celebração do 3º Aniversário da Força Aérea Portuguesa.
Em forma de HOMENAGEM, foi colocada uma COROA DE FLORES, em tons de Vermelho e Verde, Símbolo da Bandeira Portuguesa e do sacrifício das vidas perdidas.
Ficam aqui os nomes dos Homens Tombados:
1 – Tenente António Albino Rocha Mós, 26 anos;
2 – Alferes Alfredo Fernandes Ventura Pinto, 25 anos;
3 – Alferes José Nobre Guerreiro Bispo, 25 anos;
4 – Alferes Henrique Ferreira Pinto Howell, 25 anos;
5 – Sargento Fernando da Silva Santos, 25 anos;
6 – Furriel Diniz Lopes Alves Martins, 24 anos;
7 – Furriel António Carvalho, 24 anos;
8 – Furriel Danilo Martins da Fonseca, 21 anos.

Além desta iniciativa, foi enviada para a Assembleia da República um Pedido de NOTA DE PESAR, para que neste dia (01/07/2022) fosse feito:
a) Um minuto de silêncio, em honra de todos estes Pilotos Aviadores que pereceram em serviço, bem como todos os outros falecidos na Guerra do Ultramar;
b) Atribuição de uma Condecoração a Título Póstumo a todas as famílias enlutadas (destes Pilotos), em virtude dos serviços prestados à Nação Portuguesa;
c) Colocação duma Coroa de Flores do Partido CHEGA, em memória de todos quantos pereceram em Combate e em Acidentes Militares.

Santos Silva rejeitou projeto de lei do Chega sobre prisão perpétua

Augusto Santos Silva disse esta tarde no Parlamento que não tinha admitido um projeto-lei apresentado pelo Chega sobre prisão perpétua por considerar que o mesmo viola “flagrantemente a Constituição da República”. O presidente da Assembleia da República respondia a André Ventura que momentos antes afirmara: “Acabo de saber que não admitiu mais um projeto do Chega à discussão, um mau sinal para si, é uma má prática política que não dignifica a Assembleia da República.”

Em causa está um projeto de diploma que prevê a pena de prisão perpétua para crimes de homicídio praticados com especial perversidade, nomeadamente contra crianças, apresentado no passado domingo pelo partido liderado por André Ventura. “O Chega espera unidade à direita sobre esta matéria, visto que a realização da justiça deve ser um objectivo comum deste espaço político não socialista”, referiu então o partido, em comunicado.

Fonte: Jornal de Negócios

Ser POLÍCIA DE SEGURANÇA PÚBLICA

SER POLÍCIA, é uma profissão de entrega total, na defesa da Constituição e demais instituições da República Portuguesa, sempre em prol da Segurança dos cidadãos e dum país.
SER POLÍCIA, é zelar pelo cumprimento das Leis na Defesa de um Estado Democrático, para que impere a segurança e a paz social, tendo por finalidade assegurar os Direitos, Liberdades e Garantias.
SER POLÍCIA, é uma entrega 24 sobre 24 horas, sujeito às intempéries e penosidade das noites, ao serviço da sociedade, com prejuízo da sua vida particular e familiar.
SER POLÍCIA, é desempenhar o papel de “Bom Samaritano”, fazer de Psicólogo, e principalmente, saber lidar com populações multiculturais.
Em suma, SER POLÍCIA é abraçar uma profissão com abnegação, muitas vezes incompreendida e criticada, mas mesmo assim cumprindo a missão com determinação, sabendo que a maioria dos cidadãos, lhes agradecem, com reconhecido mérito.

Texto.: Ulisses Salvador

Conteúdo em atualização.

Prometemos ser breves !