As DESIGUALDADES SOCIAIS sobem em PORTUGAL

Em Portugal a GALP lucrou mais de 153% sobre as margens de refinação dos produtos petrolíferos e os acionistas recebem milhões à custa da passividade do Governo, que não mostra vontade de intervir, regulando o mercado dos combustíveis.
Era suposto num governo socialista maioritário a intervenção do Estado para regulação do preço dos combustíveis, para equilíbrio da economia e evitar os efeitos multiplicadores dos preços altos em todos os sectores da atividade económica. Tal não se verifica, quer por os preços quanto mais elevados mais IVA arrecada o estado, quer por incapacidade política para intervencionar com medidas sérias e eficazes. Os preços disparam em toda a linha, em todos os sectores de atividade com resultados catastróficos, para as classes sociais (média e pobre).
As famílias estão a sentir cada vez mais dificuldades em alimentarem-se, em pagar as rendas de casa, e amortizações de empréstimos da casa ao Banco, as prestações da compra dos automóveis e outras despesas pertinentes como o estudo dos filhos, vestuário e calçado.
O Governo Socialista mantém-se apático. Fechou-se na concha de partido mais votado e em maioria absoluta na Assembleia da República, à espera que a onda passe, mas as ondas sucessivas de problemas vão continuar.
O partido Socialista no governo mostra uma tremenda incapacidade de resolver os problemas Nacionais, os de fundo e os pontuais e urgentes.
O partido Socialista no governo só serve para agravar problemas, pois não sabe nem quer resolvê-los. E os problemas de Portugal e dos Portugueses são muitos e graves em todas as áreas, e, em todos os sectores da vida Nacional, o PS no governo revela uma confrangedora incompetência, empurrando sistematicamente o Povo para a miséria económica e financeira, social e mental.
António Costa não consegue resolver nenhum problema, arrasta-os como desde a construção do novo aeroporto passando pelas infraestruturas ferroviárias, construção de parque habitacional e muitíssimos outos. Não consegue reorganizar as polícias as Forças Armadas, a Saúde, a Modernização dos Serviços Administrativos do Estado, proceder a uma descentralização a sério e eficaz de alguns poderes do estado centralizado.
Adia, e continua a adiar.
Não foi para isto que os Portugueses escolheram uma maioria absoluta.
Em vez de procurar resolver a alta de preços de energia que afeta significativamente os Cidadãos e as empresas, faz discursos de ataque a empresas elétricas, designadamente à ENDESA e com isto não resolve o problema mitigando os preços. Aliás Costa tem este mau hábito na altura crucial para resolver problemas sérios faz discursos propagandísticos procurando desviar a atenções dos cidadãos da questão real.
António Costa não resolve problema algum da vida portuguesa com golpes publicitários, mas só com o seu trabalho sério, mas só se, se dispor a fazer trabalho sério com os seus assessores.
Por Favor, Sr. Primeiro Ministro se não está interessado ou não consegue trabalhar com a sua equipa afincadamente para a resolução efetiva dos problemas Nacionais peça a demissão em bloco dando espaço a eleições, pois existem pessoas que, por Portugal e pelos Portugueses estão interessados em trabalhar afincadamente.
Viva Portugal, vivam os Portugueses, Viva o Chega!

Texto.: Carina Duarte
Origem.: Distrital de Coimbra

Pacote legislativo para reforma da função policial em Portugal

O CHEGA deu hoje entrada de um Pacote legislativo para reforma da função policial em Portugal.

Documentos em PDF:

Projeto-Resolução n.º /XV/1ª – Pelo Aumento de Efetivos e Atratividade das Carreiras da PSP

Projeto de Lei n.º /XV/1.ª – Atribui aos efetivos com funções policiais das forças e serviços de segurança a qualificação de profissão de desgaste rápido

Projeto de Lei n.º /XV/1.ª – Aplicação do processo sumário ao julgamento dos crimes de resistência e coação sobre funcionário

Projeto de Lei /XV/1ª – Altera o Decreto-Lei n.º 243/2015, de 19 de Outubro, garantindo o cumprimento dos critérios de pré-aposentação e aposentação dos profissionais da Polícia de Segurança Pública de acordo com o seu Estatuto Profissional

Projecto de Resolução n.º /XV/1ª – Recomenda ao Governo a revisão da tabela de gratificados da PSP

Empoderadas para sofrer

“Choca ainda mais as influencers e autoproclamadas defensoras dos direitos das mulheres promoverem e compactuarem com músicas machistas, com uma percepção totalmente fantasiada e fabulada da mulher. Poderão considerar este posicionamento retrógrado; no entanto, este caminho que observamos é que constitui um verdadeiro retrocesso da percepção e da defesa da dignidade da pessoa humana.”
 A nossa mandatária da Juventude e deputada da Nação, Rita Maria Matias, escreveu mais um artigo de opinião para o semanário o Novo.
 Lê e diz-nos a tua opinião na descrição!

Chega quer que Governo alargue gratuitidade das creches e recorra ao privado quando necessário

Chega quer que o Governo alargue a gratuitidade das creches e que garanta uma taxa de cobertura de 100% a nível nacional. O partido pede que se recorra ao setor privado sempre que necessário.

O Chega recomendou esta quinta-feira ao Governo que identifique todas as vagas em creches disponíveis nos setores público, privado ou social, e que garanta uma taxa de cobertura de 100% em todo o país, recorrendo do privado quando necessário.

Num projeto de resolução, que não tem força de lei, entregue na Assembleia da República, o partido liderado por André Ventura recomenda ao executivo que promova “a nível nacional, o levantamento da rede de creches existente, com dados atualizados, que tenha como objetivo primordial identificar todas as vagas disponíveis, em equipamentos públicos, privados ou do setor social”.

Além desta medida, o Chega recomenda ao Governo que “garanta uma taxa de cobertura de 100% em todo o território nacional, recorrendo ao setor privado sempre que tal taxa de cobertura não se verifique”.

Fonte: Observador

Conteúdo em atualização.

Prometemos ser breves !