E ASSIM NASCEU O CHEGA em PORTUGAL!!!

O CHEGA nasceu da NECESSIDADE DO POVO PORTUGUÊS, ter um partido que realmente defendesse os seus interesses e se preocupasse com o seu futuro e foi com esse pensamento em mente que dei início a este movimento que, ao fim de três anos no parlamento, tornou-se no terceiro maior partido de Portugal.
Este não é um caminho fácil porque o sistema une-se para combater o único partido que sabe que o coloca em causa. Mas a luta tem de continuar a ser feita pelo futuro do nosso povo.
Que futuro poderão ter as próximas gerações, se não lutarmos contra este sistema que é um monstro que suga tudo quanto pode aos contribuintes?
Como poderemos dizer aos nossos jovens que fiquem em Portugal, se não temos empregos para eles?
Como poderemos olhar nos olhos dos nossos idosos se, depois de uma vida de descontos, têm uma mísera pensão que não lhes permite viver os últimos dias da sua vida com dignidade?
Este É o PAÍS que TEMOS, mas NÃO É o PAÍS que QUEREMOS. Não é este o país que sonhamos para aqueles que agora nasceram e que ainda estão por nascer.
O CHEGA veio para recuperar a glória de um país que deu a conhecer mundos ao mundo e que não merece ter, em pleno século XXI, dois milhões de pobres e quatro milhões de pessoas a caminho da pobreza.

O meu CHEGA, o nosso CHEGA, é o partido de TODOS aqueles que QUEREM UMA MUDANÇA em Portugal e todos juntos vamos concretizar essa mudança.

Sempre por Portugal e pelos Portugueses!

ANDRÉ VENTURA

Chega diz que plano do Governo é “vazio, tardio” e sem efeito na “vida real”

André Ventura fala de um conjunto de medidas que constituem “uma fraude política, uma fraude financeira e uma fraude fiscal”.

O presidente do Chega considerou esta segunda-feira que o plano de apoio às famílias para mitigar os efeitos da inflação é “vazio e tardio” e que as medidas anunciadas pelo Governo constituem “migalhas” face às necessidades dos portugueses.

Em declarações aos jornalistas na Assembleia da República, em Lisboa, André Ventura considerou que o Governo apresentou “um plano vazio, tardio e que não tem nenhuma repercussão na vida real das pessoas”.

“Este plano é uma fraude política, uma fraude financeira e uma fraude fiscal”, acusou, considerando que “não se traduzirá em quase nada no bolso dos portugueses e não vai certamente conter a inflação, que vai continuar a galopar”.

O líder do Chega considerou também que o plano “é uma migalha” em comparação com o aumento do custo de vida, além de uma “fraude e uma ofensa às famílias”.

“São migalhas face à fortuna que o Governo tem arrecadado com inflação e com o aumento do custo de vida”, criticou Ventura.

Apontando que o Chega esperava que as medidas anunciadas pelo Governo “respondessem aos reais anseios da população”, o líder do partido de extrema-direita apontou que “o total do pacote que o Governo hoje anunciou tem o valor de quatro mil milhões de euros, só em IRS o Governo cobrou 12 mil milhões de euros com a inflação, só em IVA 11,5 milhões de euros”.

Fonte: TSF

Conteúdo em atualização.

Prometemos ser breves !