Se legislativas fossem hoje, PS não tinha maioria absoluta

Se as eleições legislativas fossem hoje, o Partido Socialista não conseguia a maioria absoluta, aponta uma sondagem do ICS e do ISCTE para a SIC e para o Expresso, que dá aos socialistas uma diminuição de quatro pontos percentuais em relação ao resultado obtido a 30 de janeiro.

Mesmo assim, o secretário-geral socialista continua a ser o único dos líderes partidários com avaliação positiva – 5,3 numa escala de 1 a 10 -, mas é o valor mais baixo desde que estas sondagens começaram a ser feitas, em fevereiro de 2019. A nota mais baixa a nível individual vai para Jerónimo de Sousa, que cai para os três pontos.

A nível partidário, o PSD, avaliado pela primeira vez desde que Luís Montenegro sucedeu a Rui Rio, mantém-se nos 28%. O CDU e o Bloco de Esquerda não mexem, enquanto o Iniciativa Liberal baixa quase dois pontos percentuais, até aos 3% de intenção de voto. O Chega subiria quatro pontos, consolidando a terceira posição com 11%. O PAN ficaria com 3%.

Fonte: SIC Notícias

À sombra da cidade-sede

Evento promovido pela Juventude Chega Leiria
Dia 1 e 2 de Outubro, na sede da distrital de Leiria
No primeiro dia duas sessões de formação, a primeira sobre Literacia Financeira, com o Dr. Edmundo Carvalho e sobre Marxismo Cultural. No segundo dia vamos ter um debate com os jovens, acerca da mobilidade nos distritos de cada um.

Chega vai apresentar queixa contra Moedas por retirada de cartazes do Marquês

Lisboa, Carlos Moedas, pela retirada dos outdoors de propaganda política da Praça Marquês de Pombal, considerando que foi uma “atitude ilegal e abusiva”.

O anúncio foi feito pelo líder do Chega em declarações aos jornalistas na Assembleia da República.

“O Chega dará entrada de uma queixa contra a Câmara de Lisboa pela retirada destes instrumentos, mas contra o próprio presidente da Câmara Municipal de Lisboa, o doutor Carlos Moedas, por utilização abusiva do poder de autarca e por violar gravemente a Lei dos Partidos Políticos e a própria Constituição nesta matéria”, afirmou.

André Ventura considerou estar em causa um desrespeito “pelos direitos dos partidos” e dos “direitos políticos dos cidadãos”.

“Vamos pedir ao Ministério Público que veja em que medida este ato representa uma violação da legislação em matéria política e o uso abusivo das prerrogativas do presidente da Câmara de Lisboa”, acrescentou.

Fonte: Diário de Notícias

ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE MIRA 29/09/2022

Intervenção do Membro de Assembleia Municipal Augusto Miranda

Sintam-se todos cumprimentados, na pessoa do Presidente da Assembleia Municipal

Como sabem, a Comissão de Acompanhamento à ETAR das Cochadas, reuniu pela primeira vez, e uma única vez, no dia 20/06/2022, e no entendimento do Partido CHEGA, esta Comissão deveria ser sobre o Acompanhamento de toda a problemática do Saneamento em Mira.

Relativamente à ETAR das Cochadas, os técnicos referiram, que entrará em funcionamento experimental, na melhor das hipóteses no ano de 2024, e que o projeto final ainda não é conhecido, pois está dependente das prorrogativas do próprio concurso.

Nesta Comissão constatou-se, que existem vários concursos a decorrer.
Questões.:

1 – Em que ponto está o Concurso Público para a construção da ETAR propriamente dita, que vai já no 3º Concurso;
2 – Em que ponto está o Concurso Público para as Ligações e Infraestruturas de Apoio à ETAR que vai no 2º Concurso.

Algumas NOTAS.:

Estamos a falar de uma ETAR de terceira geração, com tratamento de Azoto e Fósforo (remoção de Nitratos e Fosfatos). Desinfeção biológica por Ultravioletas e membranas (é uma opção, existem outras).
Como ainda não conhecemos o projecto final para uma avaliação mais detalhada, importa referir que esta ETAR irá tratar de um volume de efluentes considerável, mas pode não resolver os problemas do concelho de Mira.
É bom também referir que embora o volume de tratamento de efluentes seja bastante grande, em caso de emergência, o resultado será sempre o mesmo, descarga para as linhas de água. Esta ETAR irá tratar exclusivamente efluentes do concelho de Cantanhede. No entanto existem nove ETAR’s ativas, basta consultar o site da INOVA, que não estão ligadas ao sistema.

Vou enumerá-las:

Praia da Tocha (segunda geração);
Outil (terceira geração);
Ançã (terceira geração);
Porto de Carros (segunda geração);
Murtede (terceira geração);
Sepins (terceira geração);
Covões Norte (segunda geração com desinfeção);
Covões Sul (segunda geração);
Corticeiro de Cima (segunda geração).

Algumas destas Estações de Tratamento, são obsoletas, (a do Corticeiro de Cima faz descargas regularmente para a Vala Velha a 50 metros do concelho de Mira).
Estas nove ETAR’s tratam um volume anual de 733 000 metros cúbicos ano. E ninguém nos garante que todas, ou parte delas, não se venham a ligar ao sistema daqui a alguns anos e voltamos a ter o mesmo problema.

Quero colocar aqui uma questão:
1) O executivo pode garantir que o Município de Cantanhede ou a Inova futuramente não irão desmantelar algumas ou todas estas ETAR´s e voltar a sobrecarregar o sistema? Relativamente a esta questão pretendíamos uma resposta curta e concreta.

Importa também referir que existem outros problemas de saneamento no concelho. Nomeadamente a ligação norte, que vai servir o Seixo e a Zona Industrial. em alta que já vai no segundo concurso.
2) Em que ponto está o concurso para a ligação norte em alta de saneamento (segundo concurso)?

Como alguém disse nessa reunião, o Concelho de Mira, está no andar debaixo, relativamente a Cantanhede.

Relativamente ao Ponto cinco da Ordem de Trabalhos.:

Relativamente à rúbrica 0301 040802 – Obras e Urbanização – Família – Outros foram retirados 12.557,00€ do Orçamento de Despesa para afetar à Questão dos Cemitérios e outros…
1) Por que razão têm de retirar desta rubrica (APOIO EM OBRAS ÀS FAMÍLIAS) e não de outra?
2) É que se existirem famílias a precisar, não haverá os 50.000€ (Previstos) mas sim só 37.443,00€. SERÁ QUE AJUDAR AS FAMÍLIAS NO ÂMBITO DE RECUPERAÇÃO DAS HABITAÇÕES NÃO É IMPORTANTE?
De acordo com a Ordem de trabalhos vão concretizar 3 novos percursos de Trails de acordo com a Candidatura do PDR2020, no valor de 27.000,00€, e vamos também adquirir uma plataforma de SMART TOURISM por 20.000,00€.
1) Não haverá aqui alguma incoerência?

No que à Eficiência Energética proposta para a Frota do Município, com o Aluguer Operacional de Veículos, coloco a questão:

MIRA ESTÁ DEVIDAMENTE COBERTA POR SISTEMAS DE CARREGAMENTO DAS BATERIAS DAS MESMAS VIATURAS e de outros utilizadores, sejam funcionários, munícipes ou terceiros?

Obrigado
Augusto Miranda

Chega defende demissão da ministra da Coesão, Costa diz que parecer “é inequívoco”

André Ventura defendeu que “há uma questão ética evidente, e é um familiar de uma ministra que está a receber fundos de uma área que tutela a própria ministra”.

O líder do Chega defendeu esta quinta-feira a demissão da ministra da Coesão na sequência da atribuição de fundos comunitários a empresas do marido, tendo o primeiro-ministro respondido que o parecer da Procuradoria-Geral da República é “inequívoco”.

Na sua intervenção na abertura do debate com o primeiro-ministro sobre política geral que decorre esta tarde na Assembleia da República, o deputado o Chega questionou António Costa se “acha ético que o marido de uma governante receba fundos de uma área que é tutelada pela própria governante”.

“Independentemente do parecer da Procuradoria-Geral da República, que estabelece que a lei é omissa e é obscura, há uma questão ética evidente, que é há um familiar de uma ministra que está a receber fundos de uma área que tutela a própria ministra”, defendeu André Ventura, querendo saber o que pensa o chefe de Governo “fazer quanto a isto” e se Ana Abrunhosa “tem condições de continuar”.

O líder do Chega defendeu “ou a saída da ministra ou a devolução dos fundos comunitários”.

Fonte: TSF

Conteúdo em atualização.

Prometemos ser breves !