Greve dos professores. Chega pede debate de urgência no Parlamento

André Ventura pediu a marcação de um debate de urgência no Parlamento com o ministro da Educação para quinta-feira. O líder do Chega exige respostas do Governo sobre o que está a ser negociado com os sindicatos.

Ventura quer saber se há novas propostas do Ministério da Educação.

Para André Ventura, estes são esclarecimentos urgentes que o ministro tem que dar aos deputados sobre o que está a ser feito.

Fonte: RTP

VIII Reunião do Conselho Consultivo Distrital

Realizou-se na passada Sexta-Feira, dia 13/01/2023, pelas 21h00, no Concelho da Cantanhede, a VIII REUNIÃO do CONSELHO CONSULTIVO do DISTRITO DE COIMBRA.
Continuamos com a perspectiva de DESCENTRALIZAÇÃO da realização das reuniões, visto que, só assim, podemos e decididamente mostramos, que somos e seremos sempre um Partido do Povo e para o Povo.
A ordem de trabalhos desta reunião foi composta por 14 pontos, que se basearam e focaram, em temas como a Análise às Eleições para Delegados à V Convenção, as Propostas, as Estratégias, os Planos e os temas de Luta para o ano de 2023, a Militância e todos os seus problemas e preocupações.
Os Projetos de Lei, os Projetos de Resolução e todos os temas inerentes ao Distrito de Coimbra, que têm sido levados, trabalhados e explanados pelo Grupo Parlamentar em defesa do Distrito Conimbricense.
Há a salientar, que este trabalho apenas é desenvolvido, devido à excelência e disponibilidade de pessoas que se dedicaram a um caminho, a um objetivo e a um propósito de nome CHEGA.
Assim se constrói um caminho para todos e para o bem de todos.
Obrigado aos presentes, pela contribuição prestada.
A próxima reunião será dia 10/02/2023 pelas 21h no Concelho de Coimbra.

Chega propõe encurtar prazo da reforma antecipada de professores

O partido Chega divulgou este sábado, em dia de marcha de professores convocada pelo sindicato STOP, um projeto de lei para encurtar o prazo para reforma antecipada dos educadores de infância e docentes do básico e do secundário.

O projeto de lei divulgado pela assessoria de imprensa do Chega, assinado pelos 12 deputados do partido, ainda não deu formalmente entrada na Assembleia da República.

O Chega propõe que o Estatuto da Carreira Docente passe a prever a possibilidade de reforma antecipada para aqueles que tenham, “pelo menos, 60 anos de idade e que, enquanto tiverem essa idade, tenham completado, pelo menos, 36 anos de exercício efetivo de funções”.

Fonte: Jornal de Notícias

CORRUPÇÃO, NÃO OBRIGADO!

A Luta contra a CORRUPÇÃO, o esforço para que a JUSTIÇA não seja só um pilar da democracia, mas que, acima de tudo, seja sentida e efetiva no seio da nossa sociedade.
Condeixa-a-Nova, é um dos 9 bastiões do Partido Socialista desde 1974, no entanto, o Grupo de Trabalho de Condeixa-a-Nova do Partido CHEGA, tem o dever e o rigor de escrutinar tudo o que seja, não democrático, e que coloque em causa, a livre democracia e sobretudo a justiça no nosso Concelho.
Assim, a nossa posição e dever como partido político, é questionar o rolo compressor do Partido Socialista, que diariamente atropela a Ética Republicana e a MORALIDADE da nossa sociedade.
A condenação Judicial de 4 anos de cadeia (pena suspensa) do Presidente do Município de Condeixa-a-Nova, Nuno Moita, não dignifica o cargo que exerce e ocupa desde 2013. Supostamente defensor dos valores da Justiça, da Liberdade e da Igualdade, e sobretudo defensor da causa pública (vide perfil municipal) … pergunta-se onde ficaram estes valores, ou será que apenas servem para iludir o que não se pode esconder?
Acham que este é o rumo para o nosso País e para o Concelho de Condeixa-a-Nova? Querem normalizar a corrupção ativa e passiva?
Connosco não passarão, não vão conseguir, não o iremos permitir. Nós, no Partido Chega não vamos deixar passar incólume esta situação.
Assumimos desde a primeira hora, um combate pela dignidade da instituição do Município de Condeixa-a-Nova e pela idoneidade necessária para quem ocupa o lugar de Presidente do Município.

Condeixa, 06 de janeiro de 2023
“Num verdadeiro sentido de responsabilidade e de respeito político, manifestamos obviamente o nosso desagrado pela situação, que não dignifica o nosso concelho, hoje Condeixa é falado e conotado por maus valores cívicos e até mencionado internacionalmente sobre esta situação, como o caso de notícias no Brasil. A ética e o saber estar na vida pública não são valores negociáveis.
A dignidade e respeito pelos bens públicos serão sempre valores invioláveis pelo nosso partido.”

Octávio Ferreira
Coordenador
Partido CHEGA
Condeixa-a-Nova

Brasil: Ventura fala de país governado por “bandido” e gera revolta na esquerda parlamentar

André Ventura ataca Lula da Silva na Assembleia da República. Santos Silva repreende-o e o líder do Chega diz-se disponível para levantar imunidade parlamentar se tiver de ir a tribunal por isso.

O líder do Chega gerou esta sexta-feira mais um incidente no parlamento, após considerar que o Brasil é governado por “um bandido”, expressão ofensiva repudiada pelo presidente da Assembleia da República e que revoltou deputados, sobretudo da esquerda.

“Compreendemos a fúria e angústia de milhões de brasileiros por verem o seu país governado por um bandido”, declarou André Ventura momentos antes de o parlamento aprovar por unanimidade — ou seja, também com os votos do Chega — um voto apresentado por Augusto Santos Silva de condenação pela invasão e vandalização das principais instituições brasileiras no passado domingo.
Fonte: Observador

Chega pede a Governo que proceda a atualização salarial dos professores

Partido liderado por André Ventura espera do Governo “correspondência com os elevados níveis de exigência que a profissão docente implica”.

O Chega deu entrada na Assembleia da República com um projeto-resolução que prevê que o Governo “proceda à atualização salarial dos professores e correspondência com os elevados níveis de exigência que a profissão docente implica”.

 

Fonte: Notícias ao Minuto

O Partido CHEGA do Distrito de Coimbra, está com os Professores!

A luta pela dignidade e liberdade dos Professores contra um Ministério da Educação prepotente, autoritário e intolerante cedo ou tarde espoletará o combate cívico e social contra o controlo esquerdista fortemente repressivo no interior das escolas.
As Escolas estão “doentes” e os sintomas não enganam.
As escolas foram transformadas em centros de modelação social, tendo potencializado uma amalgama de indisciplina, má-educação, violência doméstica, violência social, as quais atingem alunos, famílias e Professores.
Mais de metade dos professores apresenta sintomas de sofrimento psicológico numa dimensão sem precedentes históricos.
As Reinvindicações dos Professores são as seguintes.:

a) Recuperação do tempo de serviço congelado;
b) Eliminação das quotas de acesso ao 5º e 7º escalões;
c) Significava melhoria salarial;
d) Exigem que o Ministério da Educação diminua o trabalho burocrático;
e) Exigem que o Ministério da Educação corrija os erros da Mobilidade por Doença.
f) Exigem que o Ministério da Educação assuma que não é admissível professores contratados só ingressem nos quadros depois dos 45 anos de idade e mais de 20 de serviço.
g) Exigem que o Ministério da Educação reponha condições justas e equitativas para a aposentação.

Portugal merece um excelente sistema educativo, capaz de atrair mais e os melhores professores. Os professores merecem ser respeitados e valorizados. Os professores estão cansados de ser mal tratados.

Grupo de Trabalho da Educação de Coimbra do Partido CHEGA

Ventura critica PS por rejeitar o seu inquérito e viabilizar o do BE

Líder do Chega considerou que a decisão do Governo foi “a mais reles e baixa forma de fazer política”.

O presidente do Chega criticou esta terça-feira o PS por viabilizar uma comissão parlamentar de inquérito sobre a TAP proposta pelo BE mas rejeitar a sua, e disse esperar que os socialistas não tentem limitar a investigação.

Em declarações aos jornalistas na Assembleia da República, André Ventura considerou que a decisão do PS de viabilizar a proposta do BE, mas rejeitar a do Chega, “é a mais reles e baixa forma de fazer política neste parlamento”, assinalando que, apesar de o Bloco ter anunciado mais cedo que iria avançar com esta proposta, a da sua bancada “entrou primeiro” na Assembleia da República.

“É lamentável que o PS insista nesta lógica de confronto a todo o custo, ataque a todo o custo ao Chega, mesmo quando o que está em causa é uma investigação tão importante para o país e para que os portugueses tenham conhecimento do que está em causa”, defendeu.

Fonte: Correio da Manhã

Chega quer que futuros membros do Governo sejam ouvidos no Parlamento – que pode impedir a nomeação

André Ventura vai avançar com um projeto de lei para a criação de um modelo de controlo prévio das nomeações dos governantes. Ideia é que os nomes escolhidos pelo Governo tenham de passar primeiro por uma audição obrigatória no Parlamento, que tem o poder de veto

Depois de António Costa ter anunciado, no debate da moção de censura, que iria propor ao Presidente da República a criação de um mecanismo de controlo prévio de governantes, André Ventura anunciou que vai ele mesmo avançar com uma proposta nesse sentido – aceitando a “co-responsabilização” que diz que o primeiro-ministro quer atribuir a outros na escolha de ministros e secretários de Estado.

A ideia, segundo explicou André Ventura aos jornalistas no Parlamento esta terça-feira, é tornar obrigatórias audições prévias a todos os nomes que o Governo escolha para ministros e secretários de Estado, sendo que o Parlamento teria poder de veto sobre esses mesmos nomes na sequência da audição.

No caso de haver maioria absoluta de um só partido, seria pouco provável que o partido maioritário vetasse qualquer escolha, mas André Ventura afirma que mesmo assim “ganharia o escrutínio” pela Assembleia da República. “O primeiro-ministro procurou co-responsabilizar outros pelas escolhas e nós aceitamos essa co-responsabilização”, disse, pondo assim nas mãos dos partidos da oposição também uma parte da responsabilidade na avaliação prévia dos membros do Governo e na sua validação.

Fonte: Expresso

Agradecimento aos Militantes

Caro(a)s Amigo(a)s Militantes

Gostaria de vos deixar umas palavras de apreço à v/ participação nas Eleições de Delegados à V Convenção Nacional do Partido CHEGA, que se realizaram ontem entre as 14h e as 20h no Hotel TIVOLI em Coimbra.
Mesmo com as condições climatéricas adversas, é de louvar a predisposição dos militantes, privando-se do conforto do ser lar, e colocando os interesses do Distrito e do Partido também nos seus horizontes.
Parabéns a todos os participantes nas eleições (Elementos da Mesa da Assembleia, Membros de ambas as Listas e a todos os militantes votantes), pela lisura, dignidade e elevado sentido de responsabilidade, que empregaram no ato eleitoral.
Foi com um enorme sentido democrático, que se desenrolaram os trabalhos, e será com um ENORME SENTIDO DE REPRESENTATIVIDADE, que os DELEGADOS ELEITOS, irão representar o DISTRITO DE COIMBRA.

OBRIGADO A TODO(A)S…

Mais uma vez, ficou evidente, que quem fica a ganhar é a MILITÂNCIA e o PARTIDO CHEGA.

Os meus respeitosos cumprimentos
Paulo Seco
(Presidente da Distrital de Coimbra do Partido CHEGA)

Conteúdo em atualização.

Prometemos ser breves !