O conservadorismo segundo Roger Scruton

Eleições Presidenciais de 2021

O Meu Diário de Voto em André Ventura por Gabriel Mithá Ribeiro

Leia diariamente nesta página textos, excertos ou frases destinados a resgatar os portugueses da alienação mental imposta pelas elites jornalísticas, académicas, intelectuais, políticas ou artísticas de um regime falido. Contra ele, André Ventura e o CHEGA fazem germinar uma força moral e cívica imparável que fará nascer a IV República Portuguesa. 

 «(…) o legado da Europa ao mundo consiste nos dois grandes bens do cristianismo e da democracia. (…) E a experiência lembra-nos uma verdade importante, a de que um governo responsável não vem das eleições. Vem do respeito pela lei, do espírito de serviço público e de uma cultura de confissão. Pensar que existe uma ligação puramente acidental entre estas virtudes e a nossa herança judaico-cristã é viver no mundo da lua. (…) Quaisquer que sejam as nossas convicções religiosas e privadas, somos os herdeiros coletivos de coisas simultaneamente excelentes e raras, e, para nós, a vida política devia ter um objetivo primordial, a de nos mantermos fiéis a essas coisas, de modo a podermos transmiti-las aos nossos filhos.» 

Roger Scruton (2018/2014), Como ser um conservador, trad. Maria João Madeira, Lisboa, Guerra & Paz, pp.32-33 e 35. 

Gabriel Mithá Ribeiro