O Eleitorado do CHEGA!

Muito se tem dissertado sobre quem é o eleitorado do Chega!. Diversos e putativos especialistas respigam copiosamente os resultados, nos programas de televisão, na rádio, na imprensa escrita, e tentam catalogar os eleitores. A panóplia de rotulagem é a mais variada que se possa imaginar, desde a divisão por zona geográfica, sexo, idade, habilitações literárias, ocupação profissional.

Na noite eleitoral destas Presidenciais, a jornalista da TVI Cláudia Rosenbusch trocava impressões comigo com alguma admiração pelo crescimento galopante da votação em André Ventura e no CHEGA!. Nas Legislativas de 2019, a 06 de Outubro, o Partido obtivera 67 826 votos, elegendo como Deputado à Assembleia da República André Ventura, pelo círculo eleitoral de Lisboa; nestas Presidenciais, numa candidatura pessoal, em lista uninominal, o cidadão André Ventura, Presidente do Partido CHEGA!, arrecada quase meio milhão de votos, mais concretamente 496 651 votos. Mais do que septuplicou! Enquanto falávamos, os resultados oficiais iam sendo “fechados” distrito a distrito e também com algum espanto da mesma verificávamos que André Ventura dominava na ocupação do segundo lugar em relação à ex-M.R.P.P., e agora socialista, Ana Gomes. Quem são estas pessoas, questionava-se? Quem é este meio milhão de Portugueses? São os Portugueses comuns. Os emigrantes, os bombeiros, os profissionais das forças de segurança, os professores, os profissionais de saúde, os agricultores, os operários fabris, os administrativos, os profissionais da justiça, os reformados, os pescadores, os estudantes. O eleitorado do CHEGA! e de André Ventura é transversal e eclético, não vale a pena tentarem rotular, por vezes até insultando, as pessoas que nele se revêem, nem tentar dissecar e arranjar explicações, porque, para já, do que meio milhão de Portugueses está legitimamente farto é dos políticos de plástico que nos têm governado nos últimos quase 47 anos! A culpa é unicamente deles, não de quem acabou de chegar, e o mérito é de André Ventura e do CHEGA!, que é magnético e frenético.

Hoje somos meio milhão. Nas próximas eleições seremos tantos mais!

Fernanda Marques Lopes
Presidente do Conselho de Jurisdição Nacional