O Leal Conselheiro de André Ventura (3)

Eleições Presidenciais de 2021

O Meu Diário de Voto em André Ventura por Gabriel Mithá Ribeiro

Leia diariamente nesta página textos, excertos ou frases destinados a resgatar os portugueses da alienação mental imposta pelas elites jornalísticas, académicas, intelectuais, políticas ou artísticas de um regime falido. Contra ele, André Ventura e o CHEGA fazem germinar uma força moral e cívica imparável que fará nascer a IV República Portuguesa. 

 A Nova Direita Portuguesa tem «(…) que evitar dois perigos maiores: o “entrismo” a todo o preço e custo, ou seja, o esquecer das bases éticas e ideológicas e até de um certo estilo e modo de agir que são sacrificados a uma pura lógica de resultados. Estes, mesmo com excelentes motivações, correm sempre o risco, se não temperados por uma forte consciência de grupo e de estratégia, de transformar os meios – as posições adquiridas – em fins, levando à absorção, neutralização e dissolução no sistema, que se deixa de querer transformar por dentro para se defender como “mal menor”. Ou então, no extremo oposto, o maximalismo purista e verbal, que conduz ao absentismo total e, em última análise, à vitória do adversário a quem se concede o trunfo de uma ausência de competição. 

Estas doenças têm sido – e não apenas depois do 25 de Abril – peculiares à direita portuguesa e explicarão parte dos seus desaires; e a elas há que ter particular atenção, numa sociedade com hábitos mentais em que são frequentes as confusões entre essência e acidente, fruto de um certo primarismo mental e, ainda mais, de frequentes perversões do entendimento da própria dinâmica da política.» 

Jaime Nogueira Pinto, A direita e as direitas, Lisboa, Bertrand Editora, 1995/2018, p.235. 

Gabriel Mithá Ribeiro 
Vice-Presidente do CHEGA!