Só o CHEGA defende o Comércio e a Restauração

A fórmula utilizada pelo Governo Socialista para o combate à pandemia de Covid-19 não só é um absurdo como é de uma desumanidade incomensurável.

As medidas apresentadas dão a ideia de um vírus selectivo no seu método de transmissão que afecta as pessoas que frequentam os restaurantes, cafés, pastelarias ou bares nocturnos, mas não gosta de circular em transportes públicos ou escolas por exemplo.

De um vírus que tem local e hora para se disseminar:
É preguiçoso por isso acorda tarde, é relaxado e passa o tempo em almoços, lanches e jantaradas, é “bon vivant” e assim tem o vício da noite…

Sejamos honestos:
Isto é sim um atentado às micro e pequenas empresas, seus proprietários e trabalhadores;
Isto é um atentado ao tecido empresarial português;
Isto é por fim um atentado à iniciativa privada, comum à visão socialista que nos governa!

Quem mais sofre é o povo, os nossos comerciantes e seus trabalhadores.
Quem vai pôr comida nas suas mesas, pagar as suas contas, pagar os estudos dos seus filhos, as rendas de suas casas ou negócios?

Destes, os proprietários e trabalhadores da restauração, eventos e bares são talvez dos que mais sacrificados estão!

O Partido CHEGA entende ser de uma crueldade atroz o que o Governo de António Costa lhes está a fazer, lançando mais este ataque absurdo e certamente fatal.

Não é este o caminho, não é esta a forma!
O que se está a fazer neste país não tem classificação.

Podem estar certos de que estamos atentos e iremos lutar com todas as nossas forças pelo vosso sector e pela vossa sobrevivência.

Temos consciência da necessidade de proteger a população e o SNS, mas também a economia e os seus agentes, e por isso vamos preparar e apresentar uma lista alternativa de medidas que consideramos proteger todos numa coabitação de interesses e necessidades