CHEGA / Publicação atual

CHEGA luta pelos agricultores enquanto o PCP se esconde

Uma das 17 propostas que o deputado e presidente de CHEGA apresentou para alterar o Orçamento Suplementar do Governo visava reforçar as verbas atribuídas à agricultura no âmbito do quadro plurianual de programação orçamental para os anos de 2020 a 2023.

A medida proposta por André Ventura implicava uma redução orçamental nas verbas destinadas aos órgãos de soberania, à governação e à representação externa, bem como à Cultura, com o intuito de aplicar essas verbas em áreas como a Educação (Ensino Básico e Secundário e Administração Escolar), a Agricultura e a Gestão da Dívida Pública.

Esta divisão de verbas tinha como objetivo preparar o país para uma eventual (e temida) segunda vaga da doença COVID-19 no último trimestre do ano.

Injetar mais financiamento na Educação poderia ajudar a prevenir situações como as que decorreram aquando do confinamento, em que tiveram de ser as autarquias a assumir o controlo da situação e a disponibilizarem material informático para que as aulas pudessem decorrer em casa sem que nenhum aluno saísse prejudicado por a sua família não ter os recursos necessários.

Também os pequenos empresários agrícolas de economia familiar viram-se a braços com dificuldades acrescidas, alguns até ainda mais prejudicados por episódios de mau tempo que destruíram as culturas que representavam a única esperança para fazer frente à crise provocada pela pandemia.

E no entanto, o PCP, que se diz o grande baluarte da defesa do mundo rural e da agricultura, absteve-se na votação, bem como o PSD, acabando a medida por ser chumbada com os votos contra do PS, do Bloco de Esquerda e do PAN.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Partido Político CHEGA
Rua Miguel Lupi 12 - 1ºdrt.
1200-725 Lisboa
Contacto Sede: 213 961 244 – das 10h00-19h00
Assessoria de Imprensa: 934 454 043
Protocolo e Eventos: [email protected]

Política de Privacidade
Responsável pelo tratamento de dados: [email protected] Finalidade do tratamento: inscrição e gestão da condição de futuro militante no chega, em observância do art.º 9.º, n.º 2, al. D), do regulamento geral sobre a proteção de dados (RGPD). Os dados pessoais do futuro militante são objecto de processamento informático e de utilização no âmbito das actividades das estruturas internas e autónomas e diferentes candidaturas eleitorais internas de futuros militantes recebidas, nos termos que vierem a ser definidos dos estatutos e dos regulamentos eleitorais do chega, com a garantia de não serem divulgados a outras entidades para outras actividades que não se enquadrem no âmbito da declaração de princípios e das actividades do chega. Caso se venha a equacionar a cedência de dados a terceiros para uma finalidade legítima, tal carecerá sempre da obtenção prévia do consentimento do futuro militante. Prazo de conservação: os seus dados serão conservados enquanto perdurar a constituição do partido e, posteriormente, a condição de militante e, caso se aplique alguma norma estatutária ou regulamentar que implique a conservação dos dados para lá desse momento, nomeadamente de ordem disciplinar, até ao final do prazo estatutariamente ou em regulamento previsto para a efectivação dessa norma. Direitos dos titulares: o titular dos dados pode exercer os seus direitos de acesso, rectificação, oposição, apagamento ou limitação dos seus dados pessoais, nos termos do RGPD, devendo, para o efeito, remeter o seu pedido, por escrito, para [email protected] Direito de queixa: caso assim o entenda, o titular dos dados tem o direito de apresentar queixa junto da comissão nacional de protecção de dados. Encarregado de protecção de dados: em cumprimento do RGPD, o encarregado da proteção de dados pode ser contactado através do endereço eletrónico [email protected]

Conteúdo em atualização.

Prometemos ser breves !