CHEGA / Publicação atual

“CRÓNICA DOS BONS MALANDROS”

Esta é a melhor apreciação deste DESGOVERNO que nos últimos anos tem vindo a desenvolver esforços para acabar de vez com o Concelho de Tábua.
Concelho esquecido a poucos Km de Coimbra, foi outrora, ponto de passagem obrigatória para quem ligava Portugal ao resto da Europa, atravessando a N17 em direção a Vilar Formoso.
Havia Indústria, Comércio e Serviços, no entanto, com o evoluir dos tempos, tirando uma mão cheia de aventureiros, vindos ao acaso, nada se pode prever no desenvolvimento local. Apenas restam Zonas Industriais áridas, onde sobram matos e árvores, que refletem o desinteresse em progredir, não havendo tão pouco, qualquer tipo de tentativa de captar investimento.
Paradoxalmente, constroem-se ciclovias, porque fica bonito, esquecendo-se que não têm ciclistas para as usar.
Efetuam alcatroamentos, por conta das campanhas eleitorais, onde há muito deveriam ter intervencionado. Quando se olha para um concelho, dado ao amiguismo, sem sabermos muito bem se continuaremos felizes no dia seguinte, e nos deparamos com mais uns milhares de euros, entregues para o pouco ou nada feito.
Necessário seria olhar, de dentro para fora, e não fazer só por fazer, auscultar quem cá vive continuamente, e não apenas, para garantir uma mão cheia de votos.
A nível da Saúde, os Médicos existentes, são meros itinerantes, por não terem garantia de poder criar raízes numa terra tão perto de Coimbra, mas tão distante de tudo.
Desenvolvimento Social e Económico são palavras tabu, num espaço e tempo, onde o agricultor não pode fazer, mas o decreto obriga a ir mais além das suas posses. O Desinvestimento na Agricultura, tem vindo a sufocar a economia local. Em suma, se não criarmos condições para fixar a população, como queremos dar aos nossos descendentes, bases para que fiquem no nosso pedacinho de céu, com verdes campos e passarinhos a cantar?
Somos moralmente responsáveis, por deixar uma marca na nossa vida, somos obrigados a dizer CHEGA DE INCOMPETÊNCIA, seremos o que o futuro desenhar, mas seremos sempre a favor do DESENVOLVIMENTO e MELHORAIA DAS CONDIÇÕES socio-económicas das populações.
Continuamos a esperar pela melhoria de acessos, melhoria de cuidados de saúde, sim continuamos a esperar pelo cumprimento das promessas, continuamos a esperar pelo apoio ao investimento e desenvolvimento.

Texto.: Dário Bernardo

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Partido Político CHEGA
Rua Miguel Lupi 12 - 1ºdrt.
1200-725 Lisboa
Contacto Sede: 213 961 244 – das 10h00-19h00
Assessoria de Imprensa: 934 454 043
Protocolo e Eventos: [email protected]

Política de Privacidade
Responsável pelo tratamento de dados: [email protected] Finalidade do tratamento: inscrição e gestão da condição de futuro militante no chega, em observância do art.º 9.º, n.º 2, al. D), do regulamento geral sobre a proteção de dados (RGPD). Os dados pessoais do futuro militante são objecto de processamento informático e de utilização no âmbito das actividades das estruturas internas e autónomas e diferentes candidaturas eleitorais internas de futuros militantes recebidas, nos termos que vierem a ser definidos dos estatutos e dos regulamentos eleitorais do chega, com a garantia de não serem divulgados a outras entidades para outras actividades que não se enquadrem no âmbito da declaração de princípios e das actividades do chega. Caso se venha a equacionar a cedência de dados a terceiros para uma finalidade legítima, tal carecerá sempre da obtenção prévia do consentimento do futuro militante. Prazo de conservação: os seus dados serão conservados enquanto perdurar a constituição do partido e, posteriormente, a condição de militante e, caso se aplique alguma norma estatutária ou regulamentar que implique a conservação dos dados para lá desse momento, nomeadamente de ordem disciplinar, até ao final do prazo estatutariamente ou em regulamento previsto para a efectivação dessa norma. Direitos dos titulares: o titular dos dados pode exercer os seus direitos de acesso, rectificação, oposição, apagamento ou limitação dos seus dados pessoais, nos termos do RGPD, devendo, para o efeito, remeter o seu pedido, por escrito, para [email protected] Direito de queixa: caso assim o entenda, o titular dos dados tem o direito de apresentar queixa junto da comissão nacional de protecção de dados. Encarregado de protecção de dados: em cumprimento do RGPD, o encarregado da proteção de dados pode ser contactado através do endereço eletrónico [email protected]

Conteúdo em atualização.

Prometemos ser breves !