CHEGA / Publicação atual

Nos dias de HOJE – HÁ IGUALDADE NA EDUCAÇÃO?

O governo fala, bonito, em igualdade na Educação. Mas qual igualdade?
Eu conheço duas formas de igualdade na educação.
A igualdade de ACESSO e a igualdade de SUCESSO.
Pois nem uma, nem outra!!
Como pode o governo falar em IGUALDADE DE ACESSO, quando fechou tantas escolas pelo país fora?!!
Nuns casos, obrigando as crianças e jovens a deslocarem-se quilómetros para terem aulas, levantando-se muito cedo, cedo demais!! Noutros casos, empurrando crianças e jovens para o abandono, visto que:
1 Não têm como chegar às escolas;
2 Não aguentam a carga horária mais as viagens;
3 Têm de ajudar as famílias começando um trabalho precoce.
No entanto ao longo dos tempos, vamos ouvindo as habituais vozes, que se pronunciam como os grandes arautos da verdade, dizendo que: “Mas o abandono escolar diminuiu!!!” – Pode ter diminuído para quem já estava a frequentar a escola, e mesmo aí eu tenho sérias dúvidas, ainda mais agora, que a escolaridade obrigatória é de 12 anos até pelo menos aos 18 anos.
IGUALDADE DE SUCESSO?!! Onde?!! Como é possível comparar o incomparável?!! Com a flexibilidade curricular e a autonomia das escolas, há casos que parecem saídos de um qualquer filme de Hitchcock.
Expliquem-me, se conseguirem, como é que há escolas com ENSINO SEMESTRAL, dividindo o ano letivo em 2 e outras ao lado com ENSINO TRIMESTRAL, dividindo o ano letivo em 3?!!
Como é que a carga horária para cada disciplina, é diferente de escola para escola ao sabor do número de professores que não devem, não podem ficar sem horário?!!
Como é que há escolas novas, intervencionadas pela Parque Escolar (outra aberração da natureza) com condições físicas e ambientais totalmente distintas?!!
Umas têm tudo novo e nem sempre funcionam bem, pois fez-se, mas manutenção = zero.
Outras, para além da falta de recursos materiais, concretamente material eletrónico, chove nas salas de aula havendo necessidade de colocar alguidares para aparar a água que, imagine-se escoa e cai pelas lâmpadas. Haverá EXPLICAÇÕES?
Os alunos têm de transitar e ponto. Pergunta do Ministério da Educação:
a) “Sabem quanto custa um aluno chumbar?!!”
b) “Sabem o mal que estão a fazer ao futuro destes jovens?!!”
c) “Um dia serão a mão de obra barata em Portugal e/ou no mundo. É isso que os pais querem?!!
Sim, porque não os vejo defender a EDUCAÇÃO DOS FILHOS, e os que defendem ainda vão a tribunal e são condenados!!! O objetivo é claro e só não vê quem não quer.
GOVERNAR UM POVO ANALFABETO é o mais fácil que pode haver, e o resultado está à vista!
Noutros casos alguns pais dirão: “Meu filho fizeste tudo direitinho até agora!! Podes perfeitamente tirar um curso superior!!” O filho que nem sabe como chegou até ali, pensa de imediato. “Ena!! vida académica?!! Copos?!! Vamos nessa”. E entram em qualquer curso, via desemprego, e andam uma eternidade a pagar propinas que é o que o Estado quer!
Sinceramente ou eu sou muito burra, e tudo isto é que é bom!!! Ou os filhos das “Novas Oportunidades” vão comer o pão que o diabo amassou e será tarde quando perceberem a rasteira que lhes pregaram, a areia que lhes mandaram para os olhos.
Tanto quanto sei, a OCDE, já começou a perceber o golpe e já anda atrás dos responsáveis portugueses que, como sempre, irão sacudir a água do capote e culpar os professores.
Sinto-me tão aliviada quando penso que os meus filhos já passaram pelo intervalo da chuva e estão bem, OBRIGADO!!

Digo: Ter hoje um filho em Portugal é um ato de CORAGEM por todos os motivos.

Texto.: Isabel Janeira

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Partido Político CHEGA
Rua Miguel Lupi 12 - 1ºdrt.
1200-725 Lisboa
Contacto Sede: 213 961 244 – das 10h00-19h00
Assessoria de Imprensa: 934 454 043
Protocolo e Eventos: [email protected]

Política de Privacidade
Responsável pelo tratamento de dados: [email protected] Finalidade do tratamento: inscrição e gestão da condição de futuro militante no chega, em observância do art.º 9.º, n.º 2, al. D), do regulamento geral sobre a proteção de dados (RGPD). Os dados pessoais do futuro militante são objecto de processamento informático e de utilização no âmbito das actividades das estruturas internas e autónomas e diferentes candidaturas eleitorais internas de futuros militantes recebidas, nos termos que vierem a ser definidos dos estatutos e dos regulamentos eleitorais do chega, com a garantia de não serem divulgados a outras entidades para outras actividades que não se enquadrem no âmbito da declaração de princípios e das actividades do chega. Caso se venha a equacionar a cedência de dados a terceiros para uma finalidade legítima, tal carecerá sempre da obtenção prévia do consentimento do futuro militante. Prazo de conservação: os seus dados serão conservados enquanto perdurar a constituição do partido e, posteriormente, a condição de militante e, caso se aplique alguma norma estatutária ou regulamentar que implique a conservação dos dados para lá desse momento, nomeadamente de ordem disciplinar, até ao final do prazo estatutariamente ou em regulamento previsto para a efectivação dessa norma. Direitos dos titulares: o titular dos dados pode exercer os seus direitos de acesso, rectificação, oposição, apagamento ou limitação dos seus dados pessoais, nos termos do RGPD, devendo, para o efeito, remeter o seu pedido, por escrito, para [email protected]partidochega.pt. Direito de queixa: caso assim o entenda, o titular dos dados tem o direito de apresentar queixa junto da comissão nacional de protecção de dados. Encarregado de protecção de dados: em cumprimento do RGPD, o encarregado da proteção de dados pode ser contactado através do endereço eletrónico [email protected]

Conteúdo em atualização.

Prometemos ser breves !