CHEGA / Publicação atual

Comunicado sobre as novas notícias relativas a Fernando Medina e Sérgio Figueiredo

São perturbadoras e incompreensíveis as notícias vindas a público sobre o passado de avanças e contratações entre Fernando Medina, Ministro das Finanças, e Sérgio Figueiredo, consultor.

Soubemos hoje que, a par de uma nova contratação milionária, Sérgio Figueiredo teve também avenças com a Câmara Municipal de Lisboa, quando a autarquia era presidida pelo atual Ministro das Finanças, no valor de vários milhares de euros mensais. Num dos casos, através de uma empresa, Sérgio Figueiredo terá ganho da autarquia 30 mil euros em 20 dias. Isto é inconcebível!

Dado o avolumar das suspeitas de troca de favores – com envolvimento direto de dinheiros públicos – o CHEGA insta a Inspeção Geral de Finanças (IGF), no âmbito das suas competências legalmente definidas, a proceder a uma averiguação preliminar e, subsequentemente, a uma investigação profunda sobre os pagamentos feitos pela CML, durante a presidência de Medina, a Sérgio Figueiredo, bem como os contratos ou prestações de serviços e a respetiva duração e montantes envolvidos – existentes no âmbito desta relação.

Os resultados desta investigação deverão, caso sejam apurados indícios de prevaricação, tráfico de influências ou outro tipo de crimes, ser enviados para a Procuradoria-Geral da República para uma investigação criminal formal.

Não pode, jamais, em democracia, passar a ideia de que uma maioria absoluta significa impunidade absoluta.

Direção Nacional do CHEGA

Lisboa, 11 de Agosto de 2022

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Partido Político CHEGA
Rua Miguel Lupi 12 - 1ºdrt.
1200-725 Lisboa
Contacto Sede: 213 961 244 – das 10h00-19h00
Assessoria de Imprensa: 934 454 043
Protocolo e Eventos: [email protected]

Política de Privacidade
Responsável pelo tratamento de dados: [email protected] Finalidade do tratamento: inscrição e gestão da condição de futuro militante no chega, em observância do art.º 9.º, n.º 2, al. D), do regulamento geral sobre a proteção de dados (RGPD). Os dados pessoais do futuro militante são objecto de processamento informático e de utilização no âmbito das actividades das estruturas internas e autónomas e diferentes candidaturas eleitorais internas de futuros militantes recebidas, nos termos que vierem a ser definidos dos estatutos e dos regulamentos eleitorais do chega, com a garantia de não serem divulgados a outras entidades para outras actividades que não se enquadrem no âmbito da declaração de princípios e das actividades do chega. Caso se venha a equacionar a cedência de dados a terceiros para uma finalidade legítima, tal carecerá sempre da obtenção prévia do consentimento do futuro militante. Prazo de conservação: os seus dados serão conservados enquanto perdurar a constituição do partido e, posteriormente, a condição de militante e, caso se aplique alguma norma estatutária ou regulamentar que implique a conservação dos dados para lá desse momento, nomeadamente de ordem disciplinar, até ao final do prazo estatutariamente ou em regulamento previsto para a efectivação dessa norma. Direitos dos titulares: o titular dos dados pode exercer os seus direitos de acesso, rectificação, oposição, apagamento ou limitação dos seus dados pessoais, nos termos do RGPD, devendo, para o efeito, remeter o seu pedido, por escrito, para [email protected] Direito de queixa: caso assim o entenda, o titular dos dados tem o direito de apresentar queixa junto da comissão nacional de protecção de dados. Encarregado de protecção de dados: em cumprimento do RGPD, o encarregado da proteção de dados pode ser contactado através do endereço eletrónico [email protected]

Conteúdo em atualização.

Prometemos ser breves !