CHEGA / Publicação atual

E ASSIM NASCEU O CHEGA em COIMBRA

3 de setembro 2019
Depois de um dia eletrizante, o relógio marcava 17H59 quando eu entrava a correr no Tribunal da Comarca de Coimbra, para juntar os documentos em falta para a entrega da Candidatura do CHEGA ao círculo eleitoral de Coimbra.
O Tribunal encerrava às 18 horas. Era uma segunda-feira e, por pouco, quase que, o símbolo do CHEGA não estaria presente no boletim de voto e André Ventura falharia um dos objetivos traçados para as eleições legislativas de 2019:
CONCORRER A TODOS OS CIRCUITOS ELEITORAIS
Mas porquê recordar e partilhar esta história hoje?
O amigo Paulo Seco, Presidente da Distrital de Coimbra, surpreendeu-me com um pedido, para escrever um pequeno artigo a ser publicado na página do CHEGA Coimbra, sobre o CHEGA e as dificuldades sentidas ao longo deste tempo, bem como, qual o segredo para as ultrapassar e ajudar à afirmação política do Partido no panorama Partidário Nacional.
Partilhei com o Paulo Seco este episódio que foi vivido por mim na primeira pessoa em Coimbra e que faz parte da história do CHEGA e da Distrital de Coimbra e achámos que deveria ser conhecido.
Estávamos no princípio do CHEGA, André Ventura tinha sido candidato às Eleições Europeias, como cabeça de Lista da Coligação BASTA, e havia muito pouco tempo para preparar as eleições legislativas, pois os meios e as dificuldades eram muitas. No rescaldo dos resultados o sistema vigente faz de tudo para isolar André Ventura e colocar um ponto final à Coligação BASTA. O PPM cedeu e abandonou a coligação. O PPV/ CDC, presidido por mim, não se deixou condicionar nem se vendeu e mantivemos o apoio ao André Ventura e ao CHEGA.
Desde o início que o nosso objetivo era libertar Portugal das mãos dos partidos do sistema e eleger André Ventura como primeiro-ministro.
Não havia tempo a perder, e nem para fazer aprovar junto do Tribunal Constitucional uma nova coligação. A experiência de vermos o Tribunal Constitucional reprovar a coligação duas vezes nas Europeias foi decisiva para a melhor decisão: o CHEGA iria concorrer às eleições legislativas com a integração nas suas listas de militantes e cidadãos indicados pelo PPV/CDC. Ficava para mais tarde a fusão entre os dois partidos a ser realizada com tempo.
Ficámos responsáveis pela elaboração das listas e dos respetivos processos de candidatura nos distritos de Braga e Coimbra e a integração de candidatos nos outros círculos eleitorais.
Procurámos encontrar junto dos militantes, apoiantes dos dois partidos e cidadãos da sociedade civil para serem candidatos por forma a preencher as respetivas listas. Uma tarefa realizada com competência e assertividade que correu dentro da normalidade possível. Muitos cidadãos sentiram dificuldades pois, quando se tornou público que iam ser candidatos pelo CHEGA, viram as suas vidas atacadas e ameaçadas ao ponto de algumas pessoas desistirem por medo. O facto de as Juntas de Freguesia emitirem as certidões, denunciava ao PS os nossos candidatos e o Socialismo não perdoa.
Em Coimbra era preciso um mandatário, com residência no distrito de Coimbra, foi escolhido um militante do CHEGA, com muita atividade nas redes sociais, responsável da página de Coimbra e próximo de alguns responsáveis nacionais, e que aparentemente reunia as melhores referências.
Já com os candidatos escolhidos, o mandatário reúne a documentação e a pasta com toda a documentação obrigatória para ser entregue no Tribunal da Comarca de Coimbra. Agendou-se a entrega de tudo na segunda-feira dia 3 de setembro às duas horas da tarde, tudo combinado, acertado e divulgado junto da comunicação social.
Mas o impensável acontece. O mandatário distrital desaparece, fica incontactável e ninguém consegue localizá-lo desde a tarde de sexta-feira antes da data combinada.
O pânico, o desespero, a revolta, as interrogações, enfim, as teorias começam a tomar conta de todos.
Perante o caos, eu e os elementos que restavam focamo-nos no objetivo que tínhamos definido: O símbolo do CHEGA tinha de estar no boletim de voto em Coimbra e em todos os circuitos eleitorais.
Tinha-se de se reiniciar todo o processo. Certidões passadas pelas Juntas de Freguesia e ter um mandatário residente no círculo eleitoral. Tínhamos apenas o dia de segunda-feira, até à hora do fecho do Tribunal.
Contra tudo e contra muitos, aconteceu o milagre. Eu percorri mais de 700 km nesse dia para recolher documentação; o Miguel conseguiu um mandatário e as respetivas certidões, e estava no Tribunal às 17 horas a aguardar os documentos recolhidos por mim para se entregar a candidatura. Os últimos documentos foram recolhidos na Freguesia da Foz no Porto, por mim, às 16.50, e depois o meu destino era ir ao encontro deles no Tribunal.
O que fica desta aventura é que, em tudo na vida e, naturalmente, também na política, há apenas duas formas de estar: ou damos a vida por aquilo em que se acredita e não nos desviamos da meta definida, ou então perdemos tempo em conspirações e joguinhos de egos e interesses.
Nós escolhemos focarmo-nos no essencial e dar tudo para salvar Portugal e ajudar a eleger André Ventura como primeiro-ministro.
Ainda hoje, não sei o que motivou o senhor que desapareceu. Ligou uma semana depois a dizer que apoiava André Ventura e estava disponível para trabalhar e que tinha viajado com a família.
O que interessa na história é: o OBJETIVO FOI ALCANÇADO, o resto são as ditas “coincidências”, embora, pessoalmente, não acredite em coincidências.
Fica o obrigado às centenas de CORAJOSOS, que fizeram parte das listas do CHEGA, num momento tão difícil e que foi crucial; muitos perderam não só empregos, mas também amigos, e viram as suas vidas expostas e devassadas com mentiras atentados à sua dignidade e ao seu bom nome. Foram uns verdadeiros heróis!

Todos podemos dar uma ajuda, mas só um é o líder.
Viva André Ventura.
Viva Portugal

Texto.: Manuel Matias
Assessor Político do Partido CHEGA

Facebook
Twitter
Telegram
Pinterest
WhatsApp
Email

Partido Político CHEGA
Rua Miguel Lupi 12 - 1ºdrt.
1200-725 Lisboa
Contacto Sede: 213 961 244 – das 10h00-13h00 e 14h30-19h00
Email Geral: [email protected]

Política de Privacidade
Responsável pelo tratamento de dados: [email protected]. Finalidade do tratamento: inscrição e gestão da condição de futuro militante no chega, em observância do art.º 9.º, n.º 2, al. D), do regulamento geral sobre a proteção de dados (RGPD). Os dados pessoais do futuro militante são objecto de processamento informático e de utilização no âmbito das actividades das estruturas internas e autónomas e diferentes candidaturas eleitorais internas de futuros militantes recebidas, nos termos que vierem a ser definidos dos estatutos e dos regulamentos eleitorais do chega, com a garantia de não serem divulgados a outras entidades para outras actividades que não se enquadrem no âmbito da declaração de princípios e das actividades do chega. Caso se venha a equacionar a cedência de dados a terceiros para uma finalidade legítima, tal carecerá sempre da obtenção prévia do consentimento do futuro militante. Prazo de conservação: os seus dados serão conservados enquanto perdurar a constituição do partido e, posteriormente, a condição de militante e, caso se aplique alguma norma estatutária ou regulamentar que implique a conservação dos dados para lá desse momento, nomeadamente de ordem disciplinar, até ao final do prazo estatutariamente ou em regulamento previsto para a efectivação dessa norma. Direitos dos titulares: o titular dos dados pode exercer os seus direitos de acesso, rectificação, oposição, apagamento ou limitação dos seus dados pessoais, nos termos do RGPD, devendo, para o efeito, remeter o seu pedido, por escrito, para [email protected]. Direito de queixa: caso assim o entenda, o titular dos dados tem o direito de apresentar queixa junto da comissão nacional de protecção de dados. Encarregado de protecção de dados: em cumprimento do RGPD, o encarregado da proteção de dados pode ser contactado através do endereço eletrónico [email protected].

ELEITOS POR VISEU

JOÃO TILLY

BERNARDO PESSANHA

ELEITOS POR VILA REAL

MANUELA TENDER

ELEITOS POR VIANA DO CASTELO

EDUARDO TEIXEIRA

ELEITOS POR SETÚBAL

RITA MATIAS

PATRÍCIA DE CARVALHO

NUNO GABRIEL

DANIEL TEIXEIRA

ELEITOS POR SANTARÉM

PEDRO DOS SANTOS FRAZÃO

PEDRO CORREIA

LUÍSA MACEDO

ELEITOS PELO PORTO

RUI AFONSO

DIOGO PACHECO DE AMORIM

CRISTINA RODRIGUES

JOSÉ DE CARVALHO

MARCUS SANTOS

SÓNIA MONTEIRO

RAUL MELO

ELEITOS POR PORTALEGRE

HENRIQUE DE FREITAS

ELEITOS PELA MADEIRA

FRANCISCO GOMES

ELEITOS POR LEIRIA

GABRIEL MITHÁ RIBEIRO

LUÍS PAULO FERNANDES

ELEITOS PELA GUARDA

NUNO SIMÕES DE MELO

ELEITOS POR FORA DA EUROPA

MANUEL MAGNO ALVES

ELEITOS POR FARO

PEDRO PINTO

JOÃO GRAÇA

SANDRA RIBEIRO

ELEITOS POR ÉVORA

RUI CRISTINA

ELEITOS PELA EUROPA

JOSÉ DIAS FERNANDES

ELEITOS POR COIMBRA

ANTÓNIO PINTO PEREIRA

ELISEU NEVES

ELEITOS POR CASTELO BRANCO

JOÃO RIBEIRO

ELEITOS POR BRAGANÇA

JOSÉ PIRES

ELEITOS POR BRAGA

FILIPE MELO

RODRIGO TAXA

VANESSA BARATA

CARLOS BARBOSA

ELEITOS POR BEJA

DIVA RIBEIRO

ELEITOS POR AVEIRO

JORGE GALVEIAS

MARIA JOSÉ AGUIAR

ARMANDO GRAVE

ELEITOS PELOS AÇORES

MIGUEL ARRUDA

ELEITOS POR LISBOA

ANDRÉ VENTURA

RUI PAULO SOUSA

MARTA SILVA

PEDRO PESSANHA

RICARDO DIAS PINTO

FELICIDADE ALCÂNTARA

BRUNO NUNES

MADALENA CORDEIRO

JOSÉ BARREIRA SOARES

Noite Eleitoral - Hotel Marriot (Sala Mediterrâneo)

A abertura ao público ocorrerá às 18h00 no dia 10 de Março.

Conteúdo em atualização.

Prometemos ser breves !