CHEGA / Publicação atual

O PIOR DIA das nossas VIDAS! – 15 de outubro de 2017!

Passados 5 anos, são inevitáveis as memórias e as imagens que invadem o meu pensamento neste dia, nunca disse isto publicamente, mas, o sufoco daquele dia em que queria respirar e me tinha esquecido de como o fazer!
Nunca vou esquecer o sono tranquilo e sereno do meu filho com apenas 22 dias, alheio à desgraça que estava a acontecer, os gritos de alerta da minha prima ao inicio da noite, consciente do que aí vinha, o choro compulsivo dos adultos (e foram tantos), a calma da minha sogra tentando impedir que toda a gente entrasse em pânico, enquanto apagava as projeções no meio da povoação, os gritos de desespero e o terror da minha Bea, a troca de olhares com a minha Mariana Portugal, que tanto conforto e companheirismo me trouxeram naquela noite, foram tantas as palavras trocadas, e apenas com o nosso olhar…
O desespero e o sufoco de não saber nada daqueles que pela noite fora, tentaram proteger os nossos animais e os nossos bens no meio daquele inferno de chamas. As vezes sem conta que peguei nas chaves do carro para sair de casa, mas recordava as palavras do meu amor “aconteça o que acontecer, não sais de casa com o menino”, a noite foi apenas o início de uma grande batalha física e emocional, para o que ai vinha, nunca irei esquecer a revolta, o choro e o desespero do meu amor, naquela manhã de 16 de Outubro, após chegar a casa e defrontar-se com a triste realidade que estávamos a passar… “perdemos tudo, uma vida cheia de trabalho e perdemos tudo!!!”, foram estas as palavras que no meio do choro descontrolado, com desespero e revolta, ecoavam repetidamente em minha casa naquela manhã.
O sair de casa para avaliar os danos, e ver os prejuízos foi no mínimo avassalador, lembro-me de entre choros não conseguir sequer respirar!!!
“Isto é um pesadelo, não pode ser verdade” repeti isto a mim mesma, vezes sem conta. Mas sim, era a minha triste realidade!
Perdemos amigos naquele incêndio, que mudou as nossas vidas para sempre, amigos estes que nunca iremos esquecer!
E embora já tenham passado 5 anos, as lágrimas derramadas e os sentimentos de angústia e prepotência continuam a assombrar a minha vida!
ABANDONADOS!!!! É isto que ainda hoje sinto que estamos, ABANDONADOS!
ABANDONADOS por aqueles que deviam zelar pela segurança e pelo BEM ESTAR do nosso Portugal!

Texto.: Rocio Gutierrez
Militante CHEGA (Tábua)

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Partido Político CHEGA
Rua Miguel Lupi 12 - 1ºdrt.
1200-725 Lisboa
Contacto Sede: 213 961 244 – das 10h00-13h00 e 14h30-19h00
Assessoria de Imprensa: 934 454 043
Email Geral: [email protected]

Política de Privacidade
Responsável pelo tratamento de dados: [email protected] Finalidade do tratamento: inscrição e gestão da condição de futuro militante no chega, em observância do art.º 9.º, n.º 2, al. D), do regulamento geral sobre a proteção de dados (RGPD). Os dados pessoais do futuro militante são objecto de processamento informático e de utilização no âmbito das actividades das estruturas internas e autónomas e diferentes candidaturas eleitorais internas de futuros militantes recebidas, nos termos que vierem a ser definidos dos estatutos e dos regulamentos eleitorais do chega, com a garantia de não serem divulgados a outras entidades para outras actividades que não se enquadrem no âmbito da declaração de princípios e das actividades do chega. Caso se venha a equacionar a cedência de dados a terceiros para uma finalidade legítima, tal carecerá sempre da obtenção prévia do consentimento do futuro militante. Prazo de conservação: os seus dados serão conservados enquanto perdurar a constituição do partido e, posteriormente, a condição de militante e, caso se aplique alguma norma estatutária ou regulamentar que implique a conservação dos dados para lá desse momento, nomeadamente de ordem disciplinar, até ao final do prazo estatutariamente ou em regulamento previsto para a efectivação dessa norma. Direitos dos titulares: o titular dos dados pode exercer os seus direitos de acesso, rectificação, oposição, apagamento ou limitação dos seus dados pessoais, nos termos do RGPD, devendo, para o efeito, remeter o seu pedido, por escrito, para [email protected] Direito de queixa: caso assim o entenda, o titular dos dados tem o direito de apresentar queixa junto da comissão nacional de protecção de dados. Encarregado de protecção de dados: em cumprimento do RGPD, o encarregado da proteção de dados pode ser contactado através do endereço eletrónico [email protected]

Conteúdo em atualização.

Prometemos ser breves !