CHEGA / Publicação atual

“Mães abandonaram 43 bebés nos últimos cinco anos”. Onde está a Segurança Social?

Esta notícia mexe com sensibilidade e valores ético-morais de qualquer pessoa, comove profundamente qualquer um.
Quem é mãe, sabe perfeitamente que nenhuma daquelas mães em estado normal psicológico e físico, não faria tal coisa. Existem circunstâncias extremas de miséria humana que levam a tais situações, nenhuma desculpável é certo. Mas existem.
Podemos mencionar algumas:
a) Doença mental e física.
b) Dependência de drogas e alcoolismo.
c) Miséria extrema com perturbações emocionais.
d) Prostituição e escravatura sexual.
e) Ambientes familiares com doenças físicas e mentais graves acrescido de pobreza extrema.
f) Desemprego crónico com empobrecimento e doenças crónicas que levam a perturbações várias e a becos sem saída.
g) Muitas outras situações que as pessoas por vergonha ou medo não pedem ajuda às entidades públicas ou particulares.
h) O medo sempre presente e a vergonha de confessar a sua situação de fragilidade e de extrema necessidade.
i) Uma panóplia de outras situações, como a violência doméstica e outras igualmente horríveis.
Concorrem para a existência e aparecimento destas situações angustiantes, a miséria para a qual o nosso Povo tem sido empurrado por partidos políticos fundamentalistas, com as suas péssimas políticas de não distribuição de rendimentos para quem efetivamente precisa.
Aqueles políticos vão pelo critério da distribuição de subsídios na ótica da obtenção do voto eleitoral e não no critério igualitário e pedagógico de tal forma que em tempo útil as ajudas reais atingissem toda a população carenciada sem exceção, evitando que uma parte da população não tenha acesso a qualquer ajuda, enquanto outra parte da população abusa dos subsídios.
Por outro lado, a Segurança Social está mal estruturada.
É uma boa máquina para receber os descontos de quem trabalha. Mas é má para detetar e distribuir por aqueles que realmente precisavam da sua ajuda.
Devia proceder a uma rede de deteção dos cidadãos que precisam de ajuda e proceder a essa ajuda.
Se não conseguisse acabar com as situações aflitivas pelo menos contribuía para as reduzir.
O que acontece com a máquina de Segurança Social é que os Serviços de Inspeção no terreno são escassos, e não estão direcionados para detetar as situações de carência, quando devia ser um serviço cativo e com funcionários suficientes. As denuncias das situações de carência e saúde de toda a espécie devia ter a colaboração das Policias, Hospitais, Centros de Saúde, empresas, individuais, vizinhos e todas as pessoas em geral.
O que se verifica atualmente é um egoísmo doentio que ninguém quer saber de ninguém, as pessoas solidárias ou que se interessem pelo próximo estão a escassear.
Aqui temos o resultado de desprezo às pessoas por pessoas, a desumanização até da própria Segurança Social é um facto indesmentível (veja-se como os deficientes são tratados).
Nestes últimos sete anos a população portuguesa tem sofrido uma lavagem cerebral de politização vermelha, das vãs teorias vermelhas maoistas e russófonas que nos têm imposto e governado destruindo o sentimento coletivo humanístico de entreajuda, empurrando as pessoas para uma providencia estatal que não existe, o que existe é um vazio, um deserto no Sistema de Segurança Social em Portugal para os Portugueses que necessitam com urgência do Sistema, este não responde. Isto é o resultado de más políticas públicas. A Segurança Social é a Instituição Portuguesa contra a qual existem mais queixas e reclamações. Algo vem mal desde há vários anos.
Com a inflação cavalgante o Pais e os Portugueses estão a entrar num pesadelo bem real dos bens essenciais estarem a atingir preços proibitivos, este Governo em vez de intervir mantem-se passivo, apenas ensaia soluções atabalhoadas e ineficazes.
Pior continua a arrecadar milhares de milhões em IVA á custa dos aumentos brutais de toda a gama de produtos essenciais que penalizam fortemente as classes pobres e pré-pobres que são muitos milhões neste País.
O CHEGA tem alertado insistentemente para esta situação, que tem vindo a arrastar-se, mas a mentalidade ditatorial vermelha além de indiferente à miserabilização do Povo vai arrecadando os milhares de milhões que o mesmo paga em IVA sacrificada mente.
CHEGA!!!

Texto de.: Carina Duarte
Secretária do Conselho Consultivo
Distrital de Coimbra

Facebook
Twitter
Telegram
Pinterest
WhatsApp
Email

Partido Político CHEGA
Rua Miguel Lupi 12 - 1ºdrt.
1200-725 Lisboa
Contacto Sede: 213 961 244 – das 10h00-13h00 e 14h30-19h00
Email Geral: [email protected]

Política de Privacidade
Responsável pelo tratamento de dados: [email protected]. Finalidade do tratamento: inscrição e gestão da condição de futuro militante no chega, em observância do art.º 9.º, n.º 2, al. D), do regulamento geral sobre a proteção de dados (RGPD). Os dados pessoais do futuro militante são objecto de processamento informático e de utilização no âmbito das actividades das estruturas internas e autónomas e diferentes candidaturas eleitorais internas de futuros militantes recebidas, nos termos que vierem a ser definidos dos estatutos e dos regulamentos eleitorais do chega, com a garantia de não serem divulgados a outras entidades para outras actividades que não se enquadrem no âmbito da declaração de princípios e das actividades do chega. Caso se venha a equacionar a cedência de dados a terceiros para uma finalidade legítima, tal carecerá sempre da obtenção prévia do consentimento do futuro militante. Prazo de conservação: os seus dados serão conservados enquanto perdurar a constituição do partido e, posteriormente, a condição de militante e, caso se aplique alguma norma estatutária ou regulamentar que implique a conservação dos dados para lá desse momento, nomeadamente de ordem disciplinar, até ao final do prazo estatutariamente ou em regulamento previsto para a efectivação dessa norma. Direitos dos titulares: o titular dos dados pode exercer os seus direitos de acesso, rectificação, oposição, apagamento ou limitação dos seus dados pessoais, nos termos do RGPD, devendo, para o efeito, remeter o seu pedido, por escrito, para [email protected]. Direito de queixa: caso assim o entenda, o titular dos dados tem o direito de apresentar queixa junto da comissão nacional de protecção de dados. Encarregado de protecção de dados: em cumprimento do RGPD, o encarregado da proteção de dados pode ser contactado através do endereço eletrónico [email protected].

ELEITOS POR VISEU

JOÃO TILLY

BERNARDO PESSANHA

ELEITOS POR VILA REAL

MANUELA TENDER

ELEITOS POR VIANA DO CASTELO

EDUARDO TEIXEIRA

ELEITOS POR SETÚBAL

RITA MATIAS

PATRÍCIA DE CARVALHO

NUNO GABRIEL

DANIEL TEIXEIRA

ELEITOS POR SANTARÉM

PEDRO DOS SANTOS FRAZÃO

PEDRO CORREIA

LUÍSA MACEDO

ELEITOS PELO PORTO

RUI AFONSO

DIOGO PACHECO DE AMORIM

CRISTINA RODRIGUES

JOSÉ DE CARVALHO

MARCUS SANTOS

SÓNIA MONTEIRO

RAUL MELO

ELEITOS POR PORTALEGRE

HENRIQUE DE FREITAS

ELEITOS PELA MADEIRA

FRANCISCO GOMES

ELEITOS POR LEIRIA

GABRIEL MITHÁ RIBEIRO

LUÍS PAULO FERNANDES

ELEITOS PELA GUARDA

NUNO SIMÕES DE MELO

ELEITOS POR FORA DA EUROPA

MANUEL MAGNO ALVES

ELEITOS POR FARO

PEDRO PINTO

JOÃO GRAÇA

SANDRA RIBEIRO

ELEITOS POR ÉVORA

RUI CRISTINA

ELEITOS PELA EUROPA

JOSÉ DIAS FERNANDES

ELEITOS POR COIMBRA

ANTÓNIO PINTO PEREIRA

ELISEU NEVES

ELEITOS POR CASTELO BRANCO

JOÃO RIBEIRO

ELEITOS POR BRAGANÇA

JOSÉ PIRES

ELEITOS POR BRAGA

FILIPE MELO

RODRIGO TAXA

VANESSA BARATA

CARLOS BARBOSA

ELEITOS POR BEJA

DIVA RIBEIRO

ELEITOS POR AVEIRO

JORGE GALVEIAS

MARIA JOSÉ AGUIAR

ARMANDO GRAVE

ELEITOS PELOS AÇORES

MIGUEL ARRUDA

ELEITOS POR LISBOA

ANDRÉ VENTURA

RUI PAULO SOUSA

MARTA SILVA

PEDRO PESSANHA

RICARDO DIAS PINTO

FELICIDADE ALCÂNTARA

BRUNO NUNES

MADALENA CORDEIRO

JOSÉ BARREIRA SOARES

Noite Eleitoral - Hotel Marriot (Sala Mediterrâneo)

A abertura ao público ocorrerá às 18h00 no dia 10 de Março.

Conteúdo em atualização.

Prometemos ser breves !