CHEGA / Publicação atual

AMBIENTE, a RETÓRICA MELANCÓLICA da ESQUERDA

Todos os dias nos deparamos nas nossas ruas, nas nossas aldeias, nas nossas cidades e no nosso país, com autênticos CRIMES AMBIENTAIS, e não vejo, AMBIENTALISTAS, CLIMÁTICOS ou “CABEÇAS PINTADAS”, a defenderem o meio ambiente, a higienização e tratamento dos resíduos habitacionais, completamente votados, por vezes, ao abandonado nos espaços públicos e não só. É só abrir as janelas de nossa casa, ou os jornais diários e assistir às imagens degradantes.
Desde as Centrais de Tratamentos de Resíduos, dos Aterros Sanitários a céu aberto, desde as famosas ETAR’S (Estações de Tratamento de Águas Residuais), muitas delas sem estarem devidamente licenciadas, desde as descargas junto aos leitos dos rios, carregadas de produtos químicos poluentes, enfim, demasiadas situações greves e gravosas, que não auguram bons fins para a população e para as sociedades vindouras. Há que ter em consideração, que esta poluição, devasta todo o tipo de culturas e sistemas ecológicos e biológicos. Basta, ver a quantidade de doenças do foro oncológico que se abatem sobre a população nacional. Não há fumo sem fogo, é só pensar, investigar e analisar coerentemente.
Não deveremos ser o que os outros querem que sejamos, deveremos ser sim, um povo, o português, que deve defender inequivocamente o que de melhor o serve.
Muitas das vezes, “comemos gelados com a testa”, porque, não queremos perder uns minutinhos do nosso tempo a triar o melhor pensamento para a sociedade.
Não está em questão, se é de direita ou de esquerda, mas sim, o que melhor defende e serve, os interesses do Estado de Bem (se é que ele existe), a população e a sua subsistência, e todo o ecossistema envolvente.
Não vejo esta franja da sociedade (ambientalistas), a criar soluções viáveis, para a sustentabilidade do meio ambiente, e da população, no que à substituição dos combustíveis fósseis diz respeito, nem a projetar substitutos que nos permitam ter alternativas para as Habitações, para os Transportes, para a Alimentação do Ser Humano.
Muito menos, prevejo num futuro muito próximo e de forma urgente, a substituição dos hidrocarbonetos, por outros, que possam substituir de forma prática, solucionável e a preços suportáveis, os agentes de combustão que
alimentam as nossas indústrias, as quais são as grandes responsáveis da criação de emprego, ou seja, sustentabilidade das famílias e pela criação de bens exportáveis.
Muitos propagam aos sete ventos, que esta retórica da defesa do consumo dos combustíveis fósseis e não só, é defendida pela direita, cujo único fundamento é o lucro, eu então, apenas AFIRMO DE FORMA CONVICTA, que esta demagogia ambientalista apenas é propagada, financiada e dirigida, pelos que nada contribuem para a sociedade e que apenas vivem do que o que os outros produzem. É politizada por uma ESQUERDA cujo único objetivo é viver de subsídios e de programas financiados pelo Estado.
Todos somos pela descarbonização, pela despoluição dos oceanos, dos rios e dos demais cursos hídricos, mas não vejo esta “maltinha” a arregaçar as mangas e a colocar os seus TALENTOS REINVINDICATIVOS em prol da sociedade.
Assistimos a nível mundial a milhões de toneladas de plástico nos Oceanos, a milhares de objetos metálicos abandonados nos leitos dos rios e, embora ninguém toque no assunto, a quantidades desmesuradas de produtos químicos nas nossas águas ditas potáveis. E aqui, não seria de mexer, ou estas temáticas mexem com outros interesses instalados?
Há alguns episódios de “despoluição”, sim, mas são pontuais e para as reportagens das televisões, as quais financiam esta demagogia perpetuada pela ESQUERDA.
Muita razão tem o provérbio árabe, que diz que: “tempos difíceis criam homens duros, homens duros criam tempos fáceis e tempos fáceis geram homens fracos”.
É a esta sociedade tipicamente fraca, que assistimos atualmente a viver das migalhas duma Agenda Mundial 2030 que apenas tem como finalidade, controlar as massas, vitalizar e incrementar ideologias de esquerda e destruir tudo o que prolifera em seu redor, ou seja, controla a mente e controlarás o mundo em teu redor.
Defender o Ambiente, SIM, agora, politizar esta temática NÃO.

Por um País sustentável e capaz de defender o bem-estar das populações e do meio ambiente.

Texto.: Paulo Seco
(Presidente da Distrital de Coimbra)

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Partido Político CHEGA
Rua Miguel Lupi 12 - 1ºdrt.
1200-725 Lisboa
Contacto Sede: 213 961 244 – das 10h00-13h00 e 14h30-19h00
Assessoria de Imprensa: 934 454 043
Email Geral: [email protected]

Política de Privacidade
Responsável pelo tratamento de dados: [email protected] Finalidade do tratamento: inscrição e gestão da condição de futuro militante no chega, em observância do art.º 9.º, n.º 2, al. D), do regulamento geral sobre a proteção de dados (RGPD). Os dados pessoais do futuro militante são objecto de processamento informático e de utilização no âmbito das actividades das estruturas internas e autónomas e diferentes candidaturas eleitorais internas de futuros militantes recebidas, nos termos que vierem a ser definidos dos estatutos e dos regulamentos eleitorais do chega, com a garantia de não serem divulgados a outras entidades para outras actividades que não se enquadrem no âmbito da declaração de princípios e das actividades do chega. Caso se venha a equacionar a cedência de dados a terceiros para uma finalidade legítima, tal carecerá sempre da obtenção prévia do consentimento do futuro militante. Prazo de conservação: os seus dados serão conservados enquanto perdurar a constituição do partido e, posteriormente, a condição de militante e, caso se aplique alguma norma estatutária ou regulamentar que implique a conservação dos dados para lá desse momento, nomeadamente de ordem disciplinar, até ao final do prazo estatutariamente ou em regulamento previsto para a efectivação dessa norma. Direitos dos titulares: o titular dos dados pode exercer os seus direitos de acesso, rectificação, oposição, apagamento ou limitação dos seus dados pessoais, nos termos do RGPD, devendo, para o efeito, remeter o seu pedido, por escrito, para [email protected] Direito de queixa: caso assim o entenda, o titular dos dados tem o direito de apresentar queixa junto da comissão nacional de protecção de dados. Encarregado de protecção de dados: em cumprimento do RGPD, o encarregado da proteção de dados pode ser contactado através do endereço eletrónico [email protected]

Conteúdo em atualização.

Prometemos ser breves !