CHEGA / Publicação atual

HABITUEM-SE

“HABITUEM-SE!”
“Habituem-se!” … assim disse António José Seguro! E claro está que depois de 7 anos de assalto ao poder, Habituem-se! Porque viveremos um:
– Novo ano com mais depauperamento de todos os Portugueses;
– Novo ano com os restantes Países do Euro e da União Europeia a ultrapassarem-nos, nos mais diversos rankings estatísticos. Só numa estatística é que mantemos a vanguarda: a estatística da carga fiscal, em concreto, no nível de taxação de Impostos Indirectos, de taxas e taxinhas que nos ‘consomem’ recursos, diariamente, nos nossos actos de consumo e de utilização de serviços;
– Novo ano e lá continuará a política das cativações de modo a que os indicadores em Contabilidade Pública, na óptica de Maastrich, estejam favoráveis para a Europa (para quem vive em Portugal, verificamos com os serviços públicos, que não funcionam);
– Novo ano com a malcriação do Primeiro-ministro na ordem do dia, como motu próprio da sua acção pessoal e nos actos da governação;
– Novo ano com o Primeiro-ministro Costa preocupado com a Regionalização e a Descentralização impondo uma Agenda para a distribuição de cargos pelos ‘amigos’ do Partido e nas Câmaras Municipais, mais despesa corrente por força das medidas descentralistas da Agenda;
– Novo ano com a contínua romaria do Primeiro-ministro Costa, à Europa, para pedinchar dinheiro, ora para o PRR, ora para a transição digital, ora para a transição carbónica, ora para isto ora por aquilo porque, a verdadeira razão está no aumento astronómico da despesa corrente do Estado (sempre de mão estendida tal e qual um verdadeiro pedinte/mendigo);
– Novo ano com a apresentação diária de ‘novos’ Programas de Investimento, do Governo, com promessas de realidade em 2025-2026 ou 2027, cujo dinheiro vem da Europa lá para os ‘idos de março’ ou…;
– Novo ano com os casos de corrupção de elementos afectos ao PS ou seus simpatizantes que vão sendo o normal, com uma Justiça e Procuradoria-Geral da República ‘tomadas’ por dirigentes afectos ao PS ou simpatizantes;
– Novo ano com o Primeiro-ministro Costa a governar para as eleições (dando sempre como cenoura para o asno), o aumento do salário mínimo nacional acima do crescimento do PIB;
– Novo ano com a taxa de inflação permanecendo alta. Os aumentos dos preços de bens e serviços estão claramente associados a baixa produtividade do trabalho, aos aumentos dos custos de produção dos factores de produção, no caso, da mão-de-obra, além dos preços das comodities, que no mercado internacional sofrem com os conflitos regionais/internacionais;
– Novo ano com as verdadeiras Reformas a não se fazerem por uma gestão política, própria do nepotismo do Primeiro-ministro e, porque Socialista, não sabe governar sem o dinheiro dos outros e as Reformas do Estado pedem sacrifícios de todos os Cidadãos e o Primeiro-ministro Costa tem MEDO da contestação;
– Novo ano com mais 365 dias de empobrecimento!
– Habituem-se!

Rui Pedro Matos
(Professor de Economia)

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Partido Político CHEGA
Rua Miguel Lupi 12 - 1ºdrt.
1200-725 Lisboa
Contacto Sede: 213 961 244 – das 10h00-13h00 e 14h30-19h00
Assessoria de Imprensa: 934 454 043
Email Geral: [email protected]

Política de Privacidade
Responsável pelo tratamento de dados: [email protected] Finalidade do tratamento: inscrição e gestão da condição de futuro militante no chega, em observância do art.º 9.º, n.º 2, al. D), do regulamento geral sobre a proteção de dados (RGPD). Os dados pessoais do futuro militante são objecto de processamento informático e de utilização no âmbito das actividades das estruturas internas e autónomas e diferentes candidaturas eleitorais internas de futuros militantes recebidas, nos termos que vierem a ser definidos dos estatutos e dos regulamentos eleitorais do chega, com a garantia de não serem divulgados a outras entidades para outras actividades que não se enquadrem no âmbito da declaração de princípios e das actividades do chega. Caso se venha a equacionar a cedência de dados a terceiros para uma finalidade legítima, tal carecerá sempre da obtenção prévia do consentimento do futuro militante. Prazo de conservação: os seus dados serão conservados enquanto perdurar a constituição do partido e, posteriormente, a condição de militante e, caso se aplique alguma norma estatutária ou regulamentar que implique a conservação dos dados para lá desse momento, nomeadamente de ordem disciplinar, até ao final do prazo estatutariamente ou em regulamento previsto para a efectivação dessa norma. Direitos dos titulares: o titular dos dados pode exercer os seus direitos de acesso, rectificação, oposição, apagamento ou limitação dos seus dados pessoais, nos termos do RGPD, devendo, para o efeito, remeter o seu pedido, por escrito, para [email protected] Direito de queixa: caso assim o entenda, o titular dos dados tem o direito de apresentar queixa junto da comissão nacional de protecção de dados. Encarregado de protecção de dados: em cumprimento do RGPD, o encarregado da proteção de dados pode ser contactado através do endereço eletrónico [email protected]

Conteúdo em atualização.

Prometemos ser breves !