CHEGA / Publicação atual

A Arte Secular Monástica do PALITO

No século XVII, tiveram origem os palitos no Mosteiro de Lorvão, que depois se estenderam às povoações vizinhas.
As freiras convidavam para os seus banquetes, gente ilustre e de grande posição social para degustar os doces por elas confecionados. Um dia, uma abadessa pensou em arranjar uma forma dos convidados não pegarem os doces com a mão e para isso mandou a uma criada ao jardim, para afiar uns pauzinhos de louro, madeira predominante na zona envolvente do Mosteiro de Lorvão.
A madeira utilizada inicialmente não se revelou ideal e adequada, pelo que as freiras começaram a experimentar outros tipos de madeira, até descobrirem a madeira de salgueiro. Esta madeira branca como marfim, flexível, com sabor agradável e adocicado, característica das margens do Rio Mondego, mostrou-se ideal para acompanhar os petiscos das freiras, sendo utilizada também para esgaravatar os dentes dos restos das iguarias que neles ficavam entalados. Após a descoberta da madeira ideal para os palitos, foi preciso descobrir a melhor forma de a trabalhar.
Para fazer os palitos como hoje os conhecemos, a madeira de salgueiro é cortada em rolos e descascada para ficar a secar ao sol ou no forno da broa, apenas depois de bem seca é que é rachada e se fazem os palitos. A madeira seca permite que os palitos não escureçam, continuando sempre brancos.
Devido ao sucesso dos palitos, nos finais do século XIX, as freiras começaram a decorar os palitos, começando a fazer os palitos trabalhados, palitos de flor e palitos de pestana. Para os palitos trabalhados, a madeira é “luxada” com as costas da navalha para ficar com um aspeto brilhante, depois deste primeiro passo, para fazer os palitos de flor com a navalha levantam-se pequenas aparas de madeira que se enrolam sobre si mesmas, acabando por compor uma série variada de desenhos, no caso dos palitos de pestana são feitas farripas de um lado e outro do palito com a navalha. Em ambos os tipos é talhada uma cabeça do palito que foi feita, para que os ilustres convidados das freiras pegassem no palito para comer os doces e não estragassem o trabalhado de cada um deles. Para estes palitos é feito um pacote em forma de cone para que as pontas dos palitos, parte que toca na comida, fique nas condições mais higiénicas possíveis. Inicialmente fazer palitos era um entretenimento para as fidalgas freiras, nas horas de recreio, no entanto, o sucesso dos palitos fez com que isso passasse a ser uma obrigação das criadas e passasse mais tarde a ser uma tarefa de crianças, adultos e pessoas mais velhas da aldeia para conseguir responder às numerosas encomendas de palitos.
Rapidamente os palitos se começaram a vender a particulares e comerciantes que enviavam os palitos para vários países e a arte de fazer palitos espalhou-se pelas diversas aldeias vizinhas, chegando até a passar para o concelho vizinho, de Vila Nova de Poiares.

A manufatura dos palitos acabou por se tornar num sustento de várias famílias das diversas aldeias vizinhas, uma vez que havia escassez de empregos nas aldeias.
No concelho de Penacova, ainda hoje a arte de fazer palitos assume um caráter emblemático da cultura tradicional. Estes continuam a ser vendidos no posto turismo de Penacova e são um dos artigos procurados por quem visita Penacova para levar como recordação. Atualmente apenas uma artesã, se dedica a tempo inteiro a este artesanato em Penacova, continuando a levar o nome de Penacova pelo país fora.

Em 2021 os palitos de flor competiram com 25 produtos gastronómicos artesanais comestíveis e não comestíveis no European Food Gift, um concurso com o objetivo de premiar produtores artesanais locais relacionados com a gastronomia tradicional. Nesse ano os palitos de flor conseguiram arrecadar dois prémios na fase regional, nas categorias “melhor inovação em interpretação contemporânea de artesanato tradicional” e “food gift não comestíveis”, vencendo a categoria “melhor história” na final europeia.
Um ano mais tarde, em 2022, foram levados a concurso os palitos de pestana, concorrendo na World Food Gifts Challenge 2022 e vencendo as categorias “Melhor Inovação em Design Tradicional” e “Food Gift 2022 da Região de Coimbra – Não Comestível”.
E assim se dá mostra da CULTURA DE PENACOVA pelo MUNDO FORA.

Mariana Duarte
(Artesã Penacovense)

Facebook
Twitter
Telegram
Pinterest
WhatsApp
Email

Partido Político CHEGA
Rua Miguel Lupi 12 - 1ºdrt.
1200-725 Lisboa
Contacto Sede: 213 961 244 – das 10h00-13h00 e 14h30-19h00
Email Geral: [email protected]

Política de Privacidade
Responsável pelo tratamento de dados: [email protected]. Finalidade do tratamento: inscrição e gestão da condição de futuro militante no chega, em observância do art.º 9.º, n.º 2, al. D), do regulamento geral sobre a proteção de dados (RGPD). Os dados pessoais do futuro militante são objecto de processamento informático e de utilização no âmbito das actividades das estruturas internas e autónomas e diferentes candidaturas eleitorais internas de futuros militantes recebidas, nos termos que vierem a ser definidos dos estatutos e dos regulamentos eleitorais do chega, com a garantia de não serem divulgados a outras entidades para outras actividades que não se enquadrem no âmbito da declaração de princípios e das actividades do chega. Caso se venha a equacionar a cedência de dados a terceiros para uma finalidade legítima, tal carecerá sempre da obtenção prévia do consentimento do futuro militante. Prazo de conservação: os seus dados serão conservados enquanto perdurar a constituição do partido e, posteriormente, a condição de militante e, caso se aplique alguma norma estatutária ou regulamentar que implique a conservação dos dados para lá desse momento, nomeadamente de ordem disciplinar, até ao final do prazo estatutariamente ou em regulamento previsto para a efectivação dessa norma. Direitos dos titulares: o titular dos dados pode exercer os seus direitos de acesso, rectificação, oposição, apagamento ou limitação dos seus dados pessoais, nos termos do RGPD, devendo, para o efeito, remeter o seu pedido, por escrito, para [email protected]. Direito de queixa: caso assim o entenda, o titular dos dados tem o direito de apresentar queixa junto da comissão nacional de protecção de dados. Encarregado de protecção de dados: em cumprimento do RGPD, o encarregado da proteção de dados pode ser contactado através do endereço eletrónico [email protected].

ELEITOS POR VISEU

JOÃO TILLY

BERNARDO PESSANHA

ELEITOS POR VILA REAL

MANUELA TENDER

ELEITOS POR VIANA DO CASTELO

EDUARDO TEIXEIRA

ELEITOS POR SETÚBAL

RITA MATIAS

PATRÍCIA DE CARVALHO

NUNO GABRIEL

DANIEL TEIXEIRA

ELEITOS POR SANTARÉM

PEDRO DOS SANTOS FRAZÃO

PEDRO CORREIA

LUÍSA MACEDO

ELEITOS PELO PORTO

RUI AFONSO

DIOGO PACHECO DE AMORIM

CRISTINA RODRIGUES

JOSÉ DE CARVALHO

MARCUS SANTOS

SÓNIA MONTEIRO

RAUL MELO

ELEITOS POR PORTALEGRE

HENRIQUE DE FREITAS

ELEITOS PELA MADEIRA

FRANCISCO GOMES

ELEITOS POR LEIRIA

GABRIEL MITHÁ RIBEIRO

LUÍS PAULO FERNANDES

ELEITOS PELA GUARDA

NUNO SIMÕES DE MELO

ELEITOS POR FORA DA EUROPA

MANUEL MAGNO ALVES

ELEITOS POR FARO

PEDRO PINTO

JOÃO GRAÇA

SANDRA RIBEIRO

ELEITOS POR ÉVORA

RUI CRISTINA

ELEITOS PELA EUROPA

JOSÉ DIAS FERNANDES

ELEITOS POR COIMBRA

ANTÓNIO PINTO PEREIRA

ELISEU NEVES

ELEITOS POR CASTELO BRANCO

JOÃO RIBEIRO

ELEITOS POR BRAGANÇA

JOSÉ PIRES

ELEITOS POR BRAGA

FILIPE MELO

RODRIGO TAXA

VANESSA BARATA

CARLOS BARBOSA

ELEITOS POR BEJA

DIVA RIBEIRO

ELEITOS POR AVEIRO

JORGE GALVEIAS

MARIA JOSÉ AGUIAR

ARMANDO GRAVE

ELEITOS PELOS AÇORES

MIGUEL ARRUDA

ELEITOS POR LISBOA

ANDRÉ VENTURA

RUI PAULO SOUSA

MARTA SILVA

PEDRO PESSANHA

RICARDO DIAS PINTO

FELICIDADE ALCÂNTARA

BRUNO NUNES

MADALENA CORDEIRO

JOSÉ BARREIRA SOARES

Noite Eleitoral - Hotel Marriot (Sala Mediterrâneo)

A abertura ao público ocorrerá às 18h00 no dia 10 de Março.

Conteúdo em atualização.

Prometemos ser breves !