Chega fala em gestão desastrosa e espera investigação a falhas do SIRESP

O presidente do Chega criticou hoje o que considerou ser a gestão desastrosa do Governo nos incêndios e apelou a uma investigação sobre os problemas do sistema de comunicações SIRESP, tendo o Governo destacado o reforço do dispositivo.

Na intervenção inicial da interpelação requerida pelo seu partido sobre “as sucessivas falhas no combate aos incêndios”, André Ventura afirmou que o debate é justificado pelo “desastre que a gestão socialista imprimiu nos incêndios”.

Apontando que “Portugal teve este ano a maior percentagem de área ardida da Europa” e a “terceira maioria área ardida em termos absolutos em toda a Europa”, o líder do Chega defendeu que, “se em 2017 tudo falhou, em 2022 quase tudo falhou”.

Sobre o sistema de comunicações SIRESP, André Ventura afirmou que “não funcionou”, sustentando que em Leiria “os bombeiros foram obrigados a recorrer a sistemas de comunicações alternativos” e que em Palmela “a Proteção Civil voltou a falhar no auxílio”.

“Espero que a Procuradora-Geral da República lance a devida investigação sobre o que falhou no sistema SIRESP”, afirmou.

O deputado do Chega acusou também a secretária de Estado de ter ofendido os portugueses quando disse que os algoritmos indicaram que ardeu menos área do que era suposto, defendo a demissão da governante.

Fonte: Notícias ao Minuto

Informação

A Comissão de Ética informa que, ao abrigo da Diretiva n.º 3/2020 e do Regulamento Disciplinar, foi aprovada a suspensão provisória do militante João Filipe Camacho de Sousa, por um período de 180 Dias e vai ser proposta a sua expulsão ao Conselho de Jurisdição.

Mais se informa que a suspensão provisória do militante tem ainda efeitos quanto a todos os mandatos e funções do visado, bem como quanto à sua capacidade eleitoral ativa e passiva.

A Comissão de Ética

Lisboa, 21 de Setembro de 2022

Informação

A Comissão de Ética informa que, ao abrigo da Diretiva n.º 3/2020 e do Regulamento Disciplinar, foi aprovada a suspensão provisória do militante Miguel Henrique Silva Pita, por um período de 180 Dias e vai ser proposta a sua expulsão ao Conselho de Jurisdição.

Mais se informa que a suspensão provisória do militante tem ainda efeitos quanto a todos os mandatos e funções do visado, bem como quanto à sua capacidade eleitoral ativa e passiva.

A Comissão de Ética

Lisboa, 21 de Setembro de 2022

Conteúdo em atualização.

Prometemos ser breves !