IDEIAS PROPOSTAS para a FREGUESIA DE LORVÃO (Concelho PENACOVA)

• JUNTA DE FREGUESIA deve estar ABERTA ao PÚBLICO à Sexta-Feira à noite, ou ao Sábado de manhã, com a presença de um elemento do executivo;
• ASSEMBLEIAS DE FREGUESIA devem ser descentralizadas por todas as Aldeias, desde que nas mesmas, existam condições logiísticas para a sua realização;
• REALIZAÇÃO e PROMOÇÃO de FEIRAS TEMÁTICAS na Vila de Lorvão;
• REQUALIFICAÇÃO do estacionamento/zona da FEIRA MENSAL de Lorvão, para um espaço multifacetado, onde se realizem os seus eventos CULTURAIS;
• PRESSIONAR OS SMTUC, para que os seus Autocarros venham até à AVELEIRA;
• RECUPERAÇÃO e REQUALIFICAÇÃO de todas as EX-Escolas Primárias, e convertê-las em Centros de Convívio (por ex: quem tem Apoio Domiciliário, a nível de alimentação, e tem condições para se deslocar, ou seja, mobilidade física), sempre evitam questões de isolamento.
• Colocação de ABRIGOS para cães e gatos abandonados;
• APOIAR ARTESÃOS, da Freguesia através de uma LOJA COLABORATIVA;
• AQUISIÇÃO DE ESPAÇOS ou CONSTRUÇÃO de Casas Mortuárias em todas as Aldeias que têm Cemitérios;
• CRIAÇÃO DE CONDIÇÕES para fazer uma Praia Fluvial na Foz do Caneiro;
• A Rua Principal de Lorvão (desde o Parque de Estacionamento (feira) até ao fim da Rua Evaristo Guimarães) deveria ser toda calcetada, segmentando o trânsito apenas para moradores e veículos prioritários.
• TODAS AS FACHADAS da Zona Baixa da Vila de Lorvão, deveriam SER PINTADAS com as cores da Vila de Lorvão, através de apoios da Junta de Lorvão e do Município de Penacova.

Elaborado por.:
Isidro Brás,
Vice-Coordenador do
Grupo de Trabalho de Penacova

Pedido de demissão da Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa

O CHEGA tomou hoje conhecimento de novos factos relativos à obtenção de fundos europeus pelo marido da Senhora Ministra da Coesão.

Estes factos aumentam a nebulosidade do contexto em que esses fundos foram obtidos e reforçam o carácter anti-ético dos procedimentos em causa.

Sob pena da contínua deterioração da credibilidade governativa, o Senhor Primeiro-ministro não tem neste momento outra opção que não seja a remodelação da Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa.

Direcção Nacional do CHEGA

Lisboa, 30 de Setembro de 2022

Chega pede demissão da ministra Ana Abrunhosa

André Ventura diz que “grande conflito ético” que já existia tornou-se numa “certeza política”. E cola-se a artigo de Cavaco Silva

O Chega pede a demissão da ministra da Coesão, Ana Abrunhosa, depois de conhecida a notícia do Expresso que dá conta da associação entre o marido da governante e um empresário condenado por corrupção, na empresa que teve acesso a fundos europeus. “Estes factos aumentam a nebulosidade do contexto em que esses fundos foram obtidos e reforçam o carácter anti-ético dos procedimentos em causa. Sob pena da contínua deterioração da credibilidade governativa, o Senhor Primeiro-ministro não tem neste momento outra opção que não seja a remodelação da Ministra da Coesão Territorial”, pede o Chega em comunicado.

Já na quinta-feira tinha sido André Ventura a levar o assunto da atribuição de fundos à empresa participada pelo marido da ministra ao debate com o primeiro-ministro, Na ocasião, António Costa defendeu a sua ministra. A questão “é ética”, dizia Ventura. Costa respondeu com a lei. “O parecer da PGR é inequívoco”, disse o primeiro-ministro, defendendo que nada foi apontado à condução do processo de atribuição de fundos.

“Já tínhamos duvidas legais, já tínhamos certezas éticas, agora o Chega tem também certezas políticas”, diz Ventura esta sexta-feira, num vídeo divulgado pelo partido, em que acentua como os “casos vão-se acumulando” neste Governo.

Fonte: Expresso

Conteúdo em atualização.

Prometemos ser breves !